banner com a chamada: "É fake, não compartilhe"

É fake! Não compartilhe

Ajude as vítimas das enchentes, também, combatendo mentiras

Em um momento tão sensível como este que estamos passando, é importante redobrarmos o cuidado com informações que circulam pelas mídias e redes sociais. Busque sempre os canais oficiais, e evite compartilhar qualquer informação sem checar antes a sua procedência.

A Prefeitura de Porto Alegre está empenhada em salvar vidas e recuperar a nossa cidade. Contamos com a colaboração da população para não gerar mais pânico entre as vítimas e suas famílias.

Abaixo, listaremos as principais fake news que vêm sendo divulgadas e as informações verdadeiras:

 

É MENTIRA que existem 39 crianças perdidas dos pais nos abrigos.
Instalamos uma sala de atendimento especializado para crianças e adolescentes, que funciona 24h no Clube Geraldo Santana.

 

É MENTIRA que a água do DMAE não é potável.
A qualidade está dentro dos parâmetros do Ministério da Saúde e não possui riscos à população.

 

É MENTIRA que auxílios emergenciais do RS e federais já estão disponíveis nos CRAS.
As famílias vulneráveis atingidas pelas enchentes devem aguardar orientação oficial dos órgãos públicos.

 

É MENTIRA que Porto Alegre está sitiada.
Os acessos estão livres pela RS-118, com prioridade a veículos de ajuda, e RS-040, através da Bento Gonçalves, além das estradas a Caminho do Meio e Itapuã.

 

É MENTIRA que a Anvisa está proibindo a entrada de medicamentos doados para atender as vítimas das enchentes.
Não há qualquer restrição ao transporte de medicamentos destinados ao Rio Grande do Sul.

 

É MENTIRA que todas as pessoas que tiveram contato com a água das enchentes necessitam fazer uso de profilaxia.
Não é recomendado o uso indiscriminado de remédios, pois pode não ser efetivo, além de causar resistência bacteriana e desabastecimento para quem realmente precisa. A leptospirose é transmitida por água contaminada e principalmente se houver ferimento na pele. Avaliação médica é fundamental.

 

É MENTIRA que Porto Alegre ainda não tenha decretado estado de calamidade pública.
Porto Alegre decretou estado de calamidade pública no dia 2 de maio, no qual o desastre é classificado como de grande intensidade (nível III), reconhecido pela União no dia 5 de maio.

 

É MENTIRA que os agentes estão nas ruas para aplicar multas.
Nossos agentes estão atuando com o foco na organização do trânsito e garantir a segurança.

 

Acompanhe a prefeitura nas redes