Educação

Smed promove evento pedagógico no TCE para início do ano letivo

13/02/2020 16:49
Brayan Martins / PMPA
EDUCAÇÃO
Aulas no ensino fundamental começam na segunda-feira, 17

Com a presença de representantes de cinco escolas da rede municipal de ensino, foi realizada nesta quinta-feira, 13, a Formação conjunta para início do ano letivo de 2020, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Participaram a Escola Municipal Especial de Ensino Fundamental (EMEEF) Prof. Elyseu Paglioli, EMEEF Prof. Luis Francisco Lucena Borges, EMEEF Profa. Lygia Morrone Averbuck, EMEEF Tristão Sucupira Vianna e a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) de Surdos Bilíngue Salomão Watnick. Temas pedagógicos foram apresentados e discutidos nos turnos da manhã e da tarde pelos presentes.

A professora Claudia Lamprecht, da Coordenação da Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação (Smed), apresentou os números das equipes que atuam no atendimento educacional especializado na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e Médio e na Educação de Jovens e Adultos (EJA), durante a palestra A organização pedagógica das Escolas Especiais e Bilíngue de surdos da RME. Há 49 salas de inclusão e recursos, que contam com 62 professores. Também existe o apoio à inclusão, contando com 50 monitores e 300 estagiários. 

Foram apresentadas as ações realizadas nos anos de 2018 e 2019, como os encontros de formação com todos os segmentos da Educação Especial, as reuniões sistemáticas e as visitas técnicas às instituições parceiras – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Kinder Centro de Integração da Criança Especial (Kinder), Centro de Reabilitação de Porto Alegre (Cerepal) e o Instituto Cavalo Amigo. Foi citada  a abertura de uma turma de jardim na EMEF de Surdos Bilíngue Salomão Watnick, com previsão para iniciar ainda este ano. 

Claudia abordou também as ações previstas para 2020, como a finalização das documentações pedagógicas de toda a Educação Especial, formalização do termo de colaboração da Educação Precoce no Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, ampliação dos professores de Atendimento Educacional Especializado e a produção de materiais para alunos cegos e com baixa visão da rede, além da distribuição de kits para as escolas. 

Na sequência, foram discutidos os desafios da Educação Especial, como o transporte acessível para os alunos, a acessibilidade arquitetônica das escolas, as tecnologias assistivas e a comunicação alternativa. Foi lembrada a reforma de toda a estrutura física da EMEF de Surdos Bilíngue Salomão Watnick. 

O tema seguinte foi O currículo da Educação Precoce e Psicopedagogia Inicial, apresentado pela professora Cíntia Leão, da EMEEF Elyseu Paglioli. A docente abordou o currículo da educação precoce e psicopedagogia e de como será o atendimento nas escolas especiais. Ela explicou o trabalho que as assessorias exercerão, como o planejamento pedagógico, as formações, os estudos de casos, as reuniões com as famílias, entre outros. 

Serão feitas entrevistas iniciais com familiares, seguidas de atendimentos às crianças e de observações na Educação Infantil. Um mapeamento dos contextos em que as crianças estão inseridas será elaborado, assim como uma avaliação a partir das áreas de desenvolvimento e conversas com educadores, observação em grupos e interações. Outras ações ocorrerão simultaneamente. 

Diversos temas foram tratados ao longo da quinta-feira, como O currículo do Ensino Fundamental Especial, O currículo da EJA da EMEF de surdos, O currículo do Programa Trabalho Educativo, Sexualidade e Inclusão e Relatos de Experiências sobre o tema sexualidade e inclusão na formação docente e na orientação às famílias.

Na segunda feira, 17, começam as aulas para aproximadamente 17,5 mil alunos do Ensino Fundamental.

 

Luã Fontoura (supervisionado por André Malinoski)

Taís Dimer Dihl

Acompanhe a prefeitura nas redes