Sa√ļde

Consultório na Rua

Em Porto Alegre existem 4 equipes de CnR ligados à esfera municipal e uma ligada à federal através do Grupo Hospitalar Conceição. 

As equipes da Regi√£o do Centro est√£o ligadas √† Coordenadoria de Sa√ļde Oeste, com bases no Posto de Sa√ļde Modelo e outra no Santa Marta, que atendem de forma itinerante nos territ√≥rios e n√£o na base.

Consultório na Rua Santa Marta 
Rua Capit√£o Montanha, n¬ļ 27, Centro Hist√≥rico. Telefone: (51) 3289-2985¬†
Email: consultorionaruacentro@gmail.com

Consultório na Rua Modelo
Rua Jer√īnimo de Ornelas, n¬į55, Santana. Telefone: (51) 99586-4929
A equipe que atende nos territ√≥rios do Humait√°, Navegantes e Ilhas est√° ligada √† Coordenadoria de Sa√ļde Norte.

Consultório na Rua GHC 
Rua Alfred Sehbe, n¬ļ 45, Vila Ipiranga. Telefone: (51) 3340-1239¬†
Email: consultorioderua@ghc.com.br
A equipe que atende na Região Sul e Extremo-Sul está ligada à Coordenadoria Sul.

Consultório na Rua Restinga 
Rua √Ālvaro Difini, n¬ļ 520, Restinga - CF √Ālvaro Difini. Telefone: (51) 4076-5011¬†
Email: cnr.restingaextremosul@gmail.com 
Para solicitar abordagem social para pessoas em situação de rua: 156, opção 7.

 

√Ārea T√©cnica

A √Ārea T√©cnica de Sa√ļde da Popula√ß√£o em Situa√ß√£o de Rua (ATS POPRUA), faz a supervis√£o, apoio e a gest√£o das equipes de Consult√≥rios na Rua, assim como articula a√ß√Ķes, fluxos, protocolos e outras estrat√©gias, para o cuidado em sa√ļde desta popula√ß√£o espec√≠fica. Trabalha a partir das diretrizes da pol√≠tica de equidades e, intersetorialmente, com outras pol√≠ticas, participa de a√ß√Ķes para a garantia de direitos do p√ļblico em quest√£o.

Est√° situada no N√ļcleo de Equidades (NEQ), na Coordena√ß√£o de Pol√≠ticas P√ļblicas em Sa√ļde (CPPS), no Departamento de Aten√ß√£o Prim√°ria em Sa√ļde (DAPS), da Secretaria Municipal de Sa√ļde (SMS), monitorando, assessorando servi√ßos e facilitando processos, no que tange a garantia do acesso, a preven√ß√£o, os tratamentos de agravos e o direito fundamental √† sa√ļde das pessoas em situa√ß√£o de rua. A ATS POPRUA tamb√©m se responsabiliza pelos relat√≥rios de gest√£o e planos operativos relacionados √† pol√≠tica que comp√Ķe.

De acordo com a Pol√≠tica Nacional para a Popula√ß√£o em Situa√ß√£o de Rua, atrav√©s do decreto n¬į 7.053 de 2009, entende-se como popula√ß√£o em situa√ß√£o de rua ‚Äúo grupo populacional heterog√™neo que possui em comum a pobreza extrema, os v√≠nculos familiares interrompidos ou fragilizados e a inexist√™ncia de moradia convencional regular, e que utiliza os logradouros p√ļblicos e as √°reas degradadas como espa√ßo de moradia e de sustento, de forma tempor√°ria ou permanente, bem como as unidades de acolhimento para pernoite tempor√°rio ou como moradia provis√≥ria.‚ÄĚ Ao falar da Popula√ß√£o em Situa√ß√£o de Rua, temos de compreender sua heterogeneidade e todas as interseccionalidades que a comp√Ķem.

A express√£o ‚Äėpessoa‚Äô ou ‚Äėpopula√ß√£o em situa√ß√£o de rua‚Äô se estabeleceu em oposi√ß√£o √†s express√Ķes que geralmente se referem a essas pessoas como ‚Äúmoradores de rua‚ÄĚ ou ‚Äúmendigos‚ÄĚ. Atualmente, a compreens√£o de que estar na rua √© um processo, n√£o um estar permanente ou definitivo, mas uma condi√ß√£o passageira, situacional. As raz√Ķes de ida para rua, geralmente, est√£o relacionadas com conflitos familiares, viol√™ncia dom√©stica, desemprego, consumo abusivo de subst√Ęncias psicoativas, problemas ps√≠quicos, existem in√ļmeras situa√ß√Ķes que levam uma pessoa a estar em situa√ß√£o de rua.

A PSR est√° imersa em uma condi√ß√£o de vulnerabilidade social, sendo elas, recorrentemente culpabilizadas pelo contexto em que se encontram e responsabilizadas por outros problemas de ordem social (como tr√°fico, degrada√ß√£o da cidade), e por serem entendidas enquanto amea√ßa, a PSR √© alvo de a√ß√Ķes higienistas e excludentes, como a expuls√£o das regi√Ķes centrais da cidade, retirada de seus pertences, espancamentos, chacinas e o impedimento do acesso a servi√ßos p√ļblicos, como sa√ļde, contribuindo para a invisibilidade e corroborando com a sua condi√ß√£o de vulnerabilidade, perpetuando o ciclo de viol√™ncia. Dessa forma, √© preciso que a popula√ß√£o em geral entenda, compreenda este fen√īmeno ligado aos fatores de desigualdade social e precariza√ß√£o da vida, auxiliando ao poder p√ļblico no atendimento a essa popula√ß√£o. Contamos com a contribui√ß√£o de todos para dirimir riscos e incluir as pessoas em situa√ß√£o de rua aos servi√ßos de sa√ļde e de outras pol√≠ticas, atrav√©s dos canais de acesso.¬†

√Ārea T√©cnica de Sa√ļde da Popula√ß√£o em Situa√ß√£o de Rua:
Telefone: (51) 32892894 - Email: saudepoprua@portoalegre.rs.gov.br

 

Atualizado em
27/12/2023