Primeiro museu dedicado ao Hip Hop do Brasil abre em imóvel cedido pela prefeitura

09/12/2023 06:46

Em agosto de 2021, o prefeito Sebastião Melo assinou o Termo de Permissão de Uso não oneroso (TPU) de um imóvel municipal para a criação do primeiro museu dedicado à cultura Hip Hop no Brasil. Neste domingo, 10, das 13h às 20h, abre o Museu do Hip Hop RS, na rua Parque dos Nativos, 545, bairro Vila Ipiranga, com diversas atividades gratuitas, como grafitagem e apresentações musicais.

O museu tem a expectativa de receber 30 mil visitantes por ano e conta com aproximadamente seis mil itens de acervos físico e digital sobre a história do hip-hop gaúcho. A prefeitura cedeu o imóvel para garantir a realização das atividades, reforçando o planejamento da gestão dos bens municipais. O prefeito Sebastião Melo observa que a cidade incentiva as manifestações populares.

“Entregamos um patrimônio municipal para fomentar esta iniciativa, o que nos deixou muito felizes. Agora, teremos realmente um ponto de apoio e de oportunidades para os jovens da periferia” - Prefeito Sebastião Melo.

Projeto – O museu foi idealizado pela Associação da Cultura Hip Hop, atuante no fortalecimento de uma estratégia sociocultural de prevenção e redução da violência e do trabalho infantil, assim como na promoção dos direitos humanos da juventude da Capital e Região Metropolitana. Já a Secretaria de Administração e Patrimônio (Smap) elaborou o TPU. De acordo com a legislação vigente, os imóveis municipais podem ser cedidos sem cobrança somente a instituições sem fins lucrativos, que atendam preferencialmente crianças, adolescentes, idosos, pessoas com deficiência ou em situação de vulnerabilidade.

"Teremos incrementos na cultura e no desenvolvimento social e econômico da Capital. Trata-se de um projeto inédito, que fará a diferença para as comunidades da região. O patrimônio público deve ser utilizado para benefícios em prol da sociedade”, explica o secretário de Administração e Patrimônio, André Barbosa.

O rapper e militante do movimento negro no Estado, Rafa Rafuagi, responsável pelo projeto da associação, reafirma o compromisso de tornar o novo museu um espaço para fomentar a inserção social por meio da música e do hip hop.

Investimentos - As obras de revitalização no local e a administração são geridas por fundos financeiros do próprio projeto, que resultaram de parcerias com os Governos do Estado e Federal, por meio do Ministério da Cultura, Nubank e Petrobras Cultural.

No local, encontram-se salas expositivas, ateliê de oficinas, café, loja, estufa agroecológica, biblioteca, quadra poliesportiva, CT de breaking e um estúdio. O museu funcionará de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h. Mais informações em @museuhiphoprs.

 

Mariana Kruse

Gilmar Martins