Campanha de vacinação contra gripe amplia público nesta segunda-feira

08/04/2024 08:38

Nesta segunda-feira, 8, a dose da vacina contra a influenza estará disponível, também, para membros de forças de salvamento e da segurança, Forças Armadas, caminhoneiros e trabalhadores do transporte coletivo e portuários. Com esta ampliação, os grupos prioritários estão todos contemplados na campanha, que tem prosseguimento até 31 de maio. Todas as unidades de saúde da Capital estão vacinando (veja aqui os endereços). No sábado, 13, será o Dia D de vacinação. A Secretaria Municipal de Saúde divulgará no decorrer da semana informações sobre o Dia D. 

A vacina já está disponível para idosos com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias pós-parto), quilombolas, indígenas, trabalhadores da saúde de todos os níveis, públicos e privados, trabalhadores da educação do ensino básico ao superior, pessoas com comorbidades e condições clínicas especiais de todas as idades a partir dos seis meses, pessoas com deficiência, adolescentes e jovens (12 a 21 anos) cumprindo medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

De acordo com dados do LocalizaSUS, ferramenta do Ministério da Saúde, o público-alvo de Porto Alegre é composto por 698.504 pessoas. Até esta sexta-feira, 5, foram aplicadas 63.906 doses da vacina (14,4% da cobertura esperada), das quais 50.140 administradas em idosos (17,1%). Com a imunização, o Ministério da Saúde pretende reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus influenza na população-alvo para a vacinação. O objetivo é vacinar pelo menos 90% de cada um dos grupos prioritários para vacinação contra influenza: crianças, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos e mais e povos indígenas.  

A vacina oferecida pelo Sistema Único de Saúde é trivalente, garantindo proteção contra os vírus da Influenza A H3N1 e H3N2 e Influenza B. 

Comprovação - Para receber a dose, indígenas, quilombolas, gestantes e pessoas com deficiência precisam fazer a autodeclaração; para crianças, basta apresentar a caderneta de vacinação; e os demais grupos devem apresentar qualquer documento que comprove a condição: documento, receita médica, crachá, carteira de trabalho.

Comorbidades - As doenças pré-existentes ou condições clínicas estão definidas pelo Ministério da Saúde. Confira aqui

 

Patrícia Coelho

Andrea Brasil

Acompanhe a prefeitura nas redes