Dmae inicia obra para qualificar tratamento de esgoto da Zona Norte

13/10/2021 12:31
Luciano Lanes / PMPA
DMAE
Diretor-geral do departamento acompanhou os trabalhos iniciados no Beco do Paulino nesta quarta

O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) está transformando a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Bosque, na rua Hugo Ramirez, em uma Estação de Bombeamento de Esgoto (EBE). Com a mudança, o esgoto coletado no bairro Santa Rosa de Lima será enviado à estação de tratamento do Sarandi, ampliando e melhorando o sistema de esgoto sanitário da Zona Norte. No momento, está sendo feito o assentamento da tubulação no Beco do Paulino, onde o diretor-geral do Dmae, Alexandre Garcia, e técnicos do Departamento acompanharam os trabalhos na manhã desta quarta-feira, 13. 

As melhorias beneficiam cerca de duas mil pessoas que residem no entorno e têm investimento de R$ 1.097.022,18. Iniciada no último dia 5, a intervenção é realizada pela Construtora Sintra e tem previsão de término para abril de 2022.  

Serão implantadas bombas com vazão de cerca de 10 litros por segundo. Também será executada tubulação de recalque em polietileno de alta densidade (Pead) de diâmetro 160 milímetros e cerca de 2,6 quilômetros de extensão. Desde o início da obra, já foram instalados 220 metros de tubulação. Os tubos seguirão pelas avenidas Bernardino Silveira Pastoriza e Francisco Silveira Bitencourt até o Beco Recanto do Chimarrão, onde se ligará ao coletor tronco.

“A execução dessa obra, com a mudança da destinação do esgoto desta região, é considerada um avanço técnico e de gestão. Em médio e longo prazo teremos uma economia considerável de mão-de-obra e um ponto a menos de monitoramento, já que que o controle de qualidade passará a ser feito dentro de uma estação de tratamento melhor equipada”, explica o diretor-geral. 

Atualmente a ETE do Bosque opera com reator do tipo Uasb, um sistema biológico de tratamento que ocorre em ‘reatores’ (ou tanques fechados), onde bactérias formam grânulos e esses uma espécie de ‘colchão de lodo’ por onde passa o esgoto a ser tratado. Este tipo de tratamento possui baixa eficácia comparado ao processo completo da ETE Sarandi que faz o tratamento por Uasb junto com lodos ativados com aeração prolongada, com remoção biológica de nutrientes e desinfecção.

Tratamento de Esgoto - Porto Alegre possui atualmente dez Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) e o Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) Sarandi é uma das maiores da Capital. O primeiro módulo da ETE Sarandi foi inaugurado no dia 11 de outubro de 2013, na av. Fernando Ferrari, nº 4.000, bairro Sarandi, Zona Norte.

Com o tratamento em nível terciário, o esgoto deixa de ser lançado in natura no Rio Gravataí. Possui capacidade de tratamento de 203 litros por segundo e atende uma população estimada em 50 mil habitantes dos bairros Sarandi, São Sebastião, Jardim Lindóia, Jardim Itú/Sabará e Passo das Pedras, e parte dos bairros Protásio Alves, Rubem Berta, Vila Ipiranga, Mário Quintana, Cristo Redentor, Vila Jardim, Anchieta e Jardim Carvalho. Junto da ETE Serraria, na Zona Sul, o SES Sarandi ampliou o tratamento de esgotos de Porto Alegre de 27% para mais de 80%.

Isabel Lermen e Roberta Brum

Andrea Brasil