Porto Alegre registra queda nos acidentes e mortes no trânsito em janeiro

18/02/2024 08:57
Alex Rocha/PMPA
MOBILIDADE URBANA
Prefeitura intensificou ações de educação para o trânsito por meio de atividades da EPTC

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) registrou, no primeiro mês do ano, cinco mortes no trânsito de Porto Alegre. O número é menor que o do mesmo período no ano passado, quando seis pessoas perderam a vida.

A diminuição também foi acompanhada por outros indicadores. O total de acidentes caiu 10,6% - sendo 1.039 no ano anterior e 929 em janeiro de 2024. Das ocorrências no trânsito, destaque para o abalroamento (colisão lateral em movimento), com 41% dos registros.

Mais da metade das mortes envolveram motocicletas. O modal está em segundo lugar na escala dos veículos que mais se envolveram em acidentes. Foram 285 acidentes com motos, a maioria do tipo abalroamento.

“Constatamos que os principais motivos dos óbitos são a condução do veículo sem a CNH ou sem a regularização do documento, o uso de bebida alcoólica e o excesso de velocidade. Em virtude disso, intensificamos as operações e ações, principalmente durante os feriados que ocorreram ao longo do mês”, destaca o diretor-presidente da EPTC, Pedro Bisch Neto. Em  2023, 71 vidas foram perdidas no trânsito.

Segurança viária – A prefeitura lançou, em 2022, o Plano de Segurança Viária. Ele estabelece diretrizes de planejamento e gestão da segurança viária, com metas para reduzir a acidentalidade no trânsito. Segue os propósitos de desenvolvimento sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em sua agenda 2030.

Educação - Além das ações de fiscalização, operações com radar e a Balada Segura, a EPTC promove diariamente iniciativas educativas por meio da Escola Pública de Mobilidade e oferece gratuitamente no portal de ensino à distância, o curso on-line Motociclista Consciente, entre outros direcionados à segurança no trânsito.

Vida no Trânsito - Porto Alegre integra o Programa Vida no Trânsito (PVT), coordenado pelo Ministério da Saúde, e desde 2012 faz a análise de todos os sinistros de trânsito com vítimas fatais, com o objetivo de identificar os fatores e condutas de risco que resultaram em ocorrências com mortes. As causas de sinistros de trânsito decorrem, na sua maioria, de ações comportamentais dos usuários das vias. A partir da identificação desses fatores e condutas de risco, a EPTC realiza ações direcionadas para a prevenção de novas ocorrências e a redução do número de vítimas no trânsito.

Caroline Callai (estagiária) / Supervisão: Aline Rimolo

Lissandra Mendonça