Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Saúde

Ação pelo Dia dos Namorados leva exames ao Largo Glênio Peres

13/06/2019 08:50
Robson da Silveira/SMS PMPA
SAÚDE
Estão disponíveis testes rápidos para detectar doenças sexualmente transmissíveis

Reduzir as taxas de HIV/Aids, sífilis e hepatites em Porto Alegre está entre os objetivos da campanha Espalhe amor. Compartilhe cuidado pelo Dia dos Namorados. A ação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no Largo Glênio Peres nesta quinta-feira, 13, oferece testes rápidos para detectar doenças sexualmente transmissíveis e, em caso de contágio, dar início ao tratamento o mais cedo possível. (fotos)

Aposentado e morador de Porto Alegre, Almir Flores Cardoso, 74, participa da campanha pela terceira vez e elogia a iniciativa. “É uma ação muito importante, o processo é rápido e confiável", diz, e dá uma dica aos mais jovens. "Espero que eles aproveitem para cuidar da saúde e venham realizar o teste", convida Almir. No local, das 9h às 17h, são distribuídos preservativos masculinos e femininos, orientações de prevenção e atividades interativas.

Seis espaços com exames gratuitos e sete consultórios de atendimento estão disponíveis à população, com resultados em apenas 30 minutos e orientações de profissionais da área da saúde. A ideia é aproveitar a data para estimular o cuidado com a própria saúde e de quem se gosta.

"A campanha de conscientização destaca a importância dos testes rápidos para identificar a presença de infecções sexualmente transmissíveis", afirma a assessora técnica da área de Infecções Sexualmente Transmissíveis da SMS, Adriane Friedrich, enfatizando a importância de usar preservativo na relação sexual, já que a camisinha ainda é o método mais seguro para evitar a transmissão.

Os testes rápidos também são disponibilizados à população nas unidades de saúde de referência, incluindo pessoas em situação de rua.

HIV/Aids - HIV é um vírus que ataca o sistema imunológico, diminuindo as defesas do corpo e causando a Aids. Toda pessoa que tem o HIV pode passar o vírus para outras pessoas, mas nem toda pessoa que tem HIV tem Aids. A Aids é a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida e é causada pelo vírus HIV. Como o vírus ataca as células de defesa do corpo, o organismo fica mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a problemas mais graves, como tuberculose ou câncer. Toda a pessoa que tem Aids tem o vírus HIV.

Conforme informações da Equipe de Doenças Transmissíveis da Vigilância em Saúde, no ano de 2018 foram diagnosticados e notificados 1.267 casos de infecção pelo HIV em Porto Alegre (641 casos de HIV e 626 casos de Aids). Dos casos de Aids de 2018, 359 (57%) são do sexo masculino e 267 (43%) do sexo feminino. Dos casos de HIV, 408 (64%) são do sexo masculino e 233 (36%) do sexo feminino.

A taxa de detecção vem caindo gradativamente no país, em estados e municípios. Ainda assim, no ano de 2017 o Rio Grande do Sul foi o 3º estado com mais casos novos de Aids por ano e Porto Alegre, há mais de cinco anos, ocupa o 1º lugar como a capital com mais casos novos de Aids por ano.

Sífilis - A sífilis é transmitida por uma bactéria e tem três fases de desenvolvimento, podendo inicialmente não apresentar sintomas. Se não for tratada, no entanto, pode comprometer vários órgãos, como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso. A doença é transmitida na relação sexual sem camisinha, compartilhando agulhas ou seringas ou da mãe infectada para o bebê, durante a gravidez ou no parto, nesse caso chamada de sífilis congênita, que pode causar aborto, má formação do feto e até a morte do bebê. A doença tem tratamento e pode ser prevenida com o uso de preservativo.
 
De acordo com boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde, no nível nacional e estadual, Porto Alegre se destaca pela elevada taxa de detecção, ocupando, no ano de 2017, o 1º lugar no ranking das capitais com mais casos novos de sífilis congênita por ano, o 6º lugar com mais casos novos de sífilis em gestante por ano e o 8º lugar com mais casos novos de sífilis adquirida por ano.

No ano de 2018, Porto Alegre apresentou 2.325 casos de sífilis adquirida, 553 casos de sífilis em gestante e 486 casos de sífilis congênita. Dos 2.325 casos de sífilis adquirida, 1.206 (52%) são do sexo masculino e 1.119 do sexo feminino (48%). Em relação à faixa etária, a maior parte das notificações de sífilis adquirida ocorreu em indivíduos de 15 a 24 anos e de 25 a 34 anos.

Campanha pelo Dia dos Namorados no Largo Glênio Peres
Espalhe amor. Compartilhe cuidado.
Quarta e quinta-feiras, 12 e 13 de junho, das 9h às 17h
Testes rápidos gratuitos e orientações de prevenção para infecções sexualmente transmissíveis

 

Vanessa Conte

Taís Dimer Dihl