Prefeitura destaca importância do diagnóstico precoce de doenças raras

28/02/2023 08:47
Cristine Rochol/PMPA
SMS
Para eficácia do resultado, exame deve ser feito de três a cinco dias do nascimento

O teste do pezinho, nome popular da Triagem Neonatal Biológica, pode detectar precocemente doenças raras no bebê, como fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito, evitando sequelas neurológicas graves para toda a vida. No Dia Mundial das Pessoas com Doenças Raras, lembrado nesta terça-feira, 28, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destaca a importância do exame.

Disponível gratuitamente nas unidades de saúde, o teste é feito com a coleta de uma gota de sangue do calcanhar do bebê na primeira semana de vida. Para eficácia do resultado, o exame deve ser realizado de três a cinco dias do nascimento.

Atualmente, o teste pelo Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o diagnóstico de seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, síndromes falciformes, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase.

Há mais de 20 anos, o Hospital Materno Infantil Presidente Vargas é o Serviço de Referência em Triagem Neonatal do Rio Grande do Sul e integra a Política Estadual de Triagem Neonatal. O serviço é responsável pela triagem e busca ativa de bebês com alguma suspeita de doença, consulta com equipe multiprofissional especializada para acolhimento e confirmação diagnóstica, exames complementares e tratamento por toda a vida.

Saiba mais

Quando fazer o teste do pezinho?
Entre o 3º e o 5º dia de vida do recém-nascido, pois esta é a maneira de descobrir as doenças a tempo de tratá-las, impedindo o aparecimento das complicações.

Onde fazer?
É realizado gratuitamente nas unidades de saúde de referência da gestante. Confira a lista de postos de saúde para moradores de Porto Alegre.

Doenças raras são definidas pelo número reduzido de pessoas afetadas: 65 indivíduos a cada 100 mil pessoas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essas doenças são caracterizadas por uma ampla diversidade de sinais e sintomas, que variam de enfermidade para enfermidade, assim como de pessoa para pessoa afetada pela mesma condição. Todas as doenças da Triagem Neonatal Biológica são consideradas doenças raras.

 

Vanessa Conte

Andrea Brasil

Acompanhe a prefeitura nas redes