Conteúdos relacionados a: controle da dengue

Capital mantém queda no número de casos de dengue

O dado acumulado do ano é de 5.364 notificações de suspeitas feitas à vigilância epidemiológica, com 3.208 casos confirmados (59,8%), dos quais 2.999 são contraídos em Porto Alegre (autóctones) e 209 são importados ou têm o local provável de infecção indeterminado.
05/07/2022 15:24

O Boletim sobre Arboviroses divulgado nesta terça-feira, 5, pela Diretoria de Vigilância em Saúde de Porto Alegre, indica a manutenção da queda de notificações de suspeitas de dengue e de casos da doença em Porto Alegre. Em relação ao mosquito Aedes aegypti, nesta semana também não há registro de alta infestação do vetor em nenhum nos bairros monitorados pela prefeitura, mas na Vila João Pessoa o índice de infestação é moderado.

O dado acumulado do ano é de 5.364 notificações de suspeitas feitas à vigilância epidemiológica, com 3.208 casos confirmados (59,8%), dos quais 2.999 são contraídos em Porto Alegre (autóctones) e 209 são importados ou têm o local provável de infecção indeterminado. Em relação a casos contraídos na cidade, também o registro é menor em relação à semana anterior. Nesta, são informados 13 novos casos autóctones, enquanto na semana anterior foram 22. Neste ano, foram registrados quatro óbitos devido à doença. Os dados estão sujeitos à revisão e incluem informação até 2 de julho (Semana epidemiológica 26).

Em relação à chikungunya, foram notificadas seis suspeitas, das quais cinco foram descartadas e um caso, importado, foi confirmado. De zika, foram três notificações de suspeita, todas descartadas em exames laboratoriais.

Embora haja confirmação de casos em toda a cidade, nove bairros registram maior incidência da doença no decorrer do ano: Jardim Carvalho, seguido por Bom Jesus, Partenon e Vila Nova e, na ordem de incidência de casos, Ipanema, Vila São José, Vila Jardim, Morro Santana e Ruben Berta. Nesta semana, o dado sobre casos no Boletim repete a informação da semana anterior, por impossibilidade de atualização do mapa.

Além da confirmação dos casos, o Boletim da Semana Epidemiológica 25 traz dados sobre a infestação do mosquito Aedes aegypti, resultantes do monitoramento do Aedes feito pela prefeitura. Nesta semana, dos 45 bairros monitorados com armadilhas, 44 têm infestação classificada como baixa e um, moderada. 

A baixa da temperatura registrada no outono e início do inverno contribui com a diminuição sustentada da infestação vetorial na cidade e com a queda no número de casos novos no mesmo período. 

Os dados estão sujeitos à revisão em virtude da permanente qualificação e podem ser conferidos no Painel de Casos de Dengue, Zika e Chikungunya

Capital registra mais uma semana com queda no número de casos de dengue

Novidade da semana foi a infestação vetorial, classificada como "baixa" em todos os bairros monitorados com armadilhas.
30/06/2022 11:23

O Boletim sobre Arboviroses divulgado no final da tarde de quarta-feira, 29, indica a manutenção da queda de notificações de suspeitas de dengue e de casos da doença em Porto Alegre. Em relação ao mosquito Aedes aegypti, não há registro de alta infestação do vetor em nenhum nos bairros monitorados pela prefeitura.

O dado acumulado do ano é de 5.205 notificações de suspeitas feitas à vigilância epidemiológica, com 3.117 casos confirmados (59,7%), dos quais 2.986 são contraídos em Porto Alegre (autóctones) e 131 são importados ou têm o local provável de infecção indeterminado. Em relação a casos contraídos na cidade, também o registro é menor em relação à semana anterior. Nesta, são informados 22 novos casos autóctones, enquanto na semana anterior foram 44. Neste ano, foram registrados quatro óbitos devido à doença. Os dados estão sujeitos à revisão e incluem informação até 25 de junho.

A baixa da temperatura registrada no outono e início do inverno contribui com a diminuição sustentada da infestação vetorial na cidade e com a queda no número de casos novos no mesmo período.

Em relação à chikungunya, foram notificadas seis suspeitas, das quais cinco foram descartadas e um caso, importado, foi confirmado. De zika, foram três notificações de suspeita, todas descartadas em exames laboratoriais.

Embora haja confirmação de casos em toda a cidade, seguem sendo nove os bairros com maior incidência da doença no decorrer do ano: Jardim Carvalho, seguido por Bom Jesus, Partenon e Vila Nova e, na ordem de incidência de casos, Ipanema, Vila São José, Vila Jardim, Morro Santana e Ruben Berta. Mapa de distribuição dos casos confirmados está incluído na publicação semanal.

Além da confirmação dos casos, o Boletim da Semana Epidemiológica 25 traz dados sobre a infestação do mosquito Aedes aegypti, resultantes do monitoramento do Aedes feito pela prefeitura. Nesta semana, todos os bairros monitorados com armadilhas têm infestação classificada como baixa.

Os dados estão sujeitos à revisão em virtude da permanente qualificação e podem ser conferidos no Painel de Casos de Dengue, Zika e Chikungunya.

Porto Alegre registra mais uma semana com queda na confirmação de casos de dengue

Na SE 24 foi confirmado um caso autóctone, enquanto na SE 23 foram oito.
23/06/2022 10:31

O Boletim sobre Arboviroses desta semana indica a manutenção da queda de notificações de suspeitas de dengue e de casos da doença em Porto Alegre e da infestação do vetor nos bairros monitorados pela prefeitura.

O dado acumulado do ano é de 4.767 notificações de suspeitas feitas à vigilância epidemiológica, com 2.969 casos confirmados (62%), dos quais 2.864 são contraídos em Porto Alegre (autóctones) e 105 são importados ou têm o local provável de infecção indeterminado. Em relação a casos contraídos na cidade, também o registro é menor em relação à semana anterior. Nesta, são informados 44 novos casos autóctones, enquanto na semana anterior foram 123, distribuídos em semanas epidemiológicas (SE) anteriores. Da SE 24 foi um caso informado; na SE 23, oito.Neste ano, foram registrados quatro óbitos devido à doença. Os dados estão sujeitos à revisão e incluem informação até 18 de junho.

A baixa da temperatura registrada nas últimas semanas contribui com a diminuição sustentada da infestação vetorial na cidade e pode ter relação com a queda no número de casos novos no mesmo período. No entanto, a enfermeira Raquel Rosa, chefe da Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da SMS, destaca que, embora haja queda no número de casos, ainda há dados em processamento, o que pode alterar o cenário.

Em relação à chikungunya, foram notificadas seis suspeitas, das quais cinco foram descartadas e um caso, importado, foi confirmado. De zika, foram três notificações de suspeita, todas descartadas em exames laboratoriais.

Embora haja confirmação de casos em toda a cidade, são nove os bairros com maior incidência da doença: Jardim Carvalho, seguido por Bom Jesus, Partenon e Vila Nova e, na ordem de incidência de casos, Ipanema, Vila São José, Vila Jardim, Morro Santana e Ruben Berta. Mapa de distribuição dos casos confirmados está incluído na publicação semanal.

Além da confirmação dos casos, o Boletim da Semana Epidemiológica 24 traz dados sobre a infestação do mosquito Aedes aegypti, resultantes do monitoramento do Aedes feito pela prefeitura. Nesta semana, dois bairros da cidade de Porto Alegre estão em alerta de infestação de mosquitos, dois bairros com infestação moderada e 38 bairros com infestação baixa. Não há registro de bairro com alta infestação.

Os dados estão sujeitos à revisão em virtude da permanente qualificação e podem ser conferidos no Painel de Casos de Dengue, Zika e Chikungunya.

Texto: Patrícia Coelho

Dengue: boletim indica queda de casos confirmados e da infestação

​​​​​​​Dados sobre a infestação do mosquito são resultantes do monitoramento feito pela prefeitura
15/06/2022 12:16

O Boletim Semanal sobre Arboviroses divulgado na terça-feira, 14, pela Secretaria Municipal de Saúde, indica estabilidade no número semanal de notificações de suspeitas de dengue e diminuição no número de casos confirmados da doença em Porto Alegre e da infestação do vetor nos bairros monitorados pela prefeitura.

A baixa da temperatura registrada nas últimas semanas contribui com a diminuição sustentada da infestação vetorial na cidade e pode ter relação com a queda no número de casos novos no mesmo período. No entanto, a enfermeira Raquel Rosa, chefe da Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da SMS, destaca que, embora neste período de três semanas haja queda no número de casos ainda há dados em processamento, o que pode alterar o cenário.

Na semana anterior, foram confirmados 287 casos autóctones na cidade; nesta semana, 123. O dado acumulado do ano é de 4.636 notificações de suspeitas feitas à vigilância epidemiológica, com 2919 casos confirmados (63%), dos quais 2.820 são contraídos em Porto Alegre (autóctones) e 99 são importados ou têm o local provável de infecção indeterminado. Foram registrados quatro óbitos devido à doença. Os dados estão sujeitos à revisão e incluem informação até 11 de junho.

Em relação à chikungunya, foram notificadas seis suspeitas, das quais cinco foram descartadas e um caso, importado, foi confirmado. De zika, foram três notificações de suspeita, todas descartadas em exames laboratoriais.

Embora haja confirmação de casos em toda a cidade, os bairros com maior incidência da doença, respetivamente, são Jardim Carvalho, seguido por Bom Jesus e Vila Nova e, na ordem de incidência de casos, Ruben Berta, Vila Jardim, Morro Santana, Partenon, Vila São José e Ipanema. Mapa de distribuição dos casos confirmados está incluído na publicação semanal.

Além da confirmação dos casos, o Boletim da Semana Epidemiológica 23 traz dados sobre a infestação do mosquito Aedes aegypti, resultantes do monitoramento do Aedes feito pela prefeitura. Nesta semana, dois bairros da cidade de Porto Alegre estão em alerta de infestação de mosquitos, sete bairros com infestação moderada e 37 bairros com infestação baixa. Não há registro de bairro com alta infestação.

Os dados estão sujeitos à revisão em virtude da permanente qualificação e podem ser conferidos no Painel de Casos de Dengue, Zika e Chikungunya, neste link.

Texto: Patrícia Coelho

Edição: Lissandra Mendonça

 

Saúde anuncia programação de ações contra dengue para esta semana

Agentes orientam moradores, fazem busca ativa de casos suspeitos, identificam e eliminam criadouros do mosquito

13/06/2022 08:55

Nesta segunda-feira, 13, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) dá continuidade às ações nos territórios para controle da dengue. A programação segue ao longo da semana, abrangendo 41 bairros, nas regiões Leste, Oeste, Sul e Norte da Capital. O mau tempo pode provocar suspensão, adiamento ou cancelamento de trabalhos. Novas ações podem ser programadas pelas equipes operacionais da Diretoria de Vigilância em Saúde da SMS (DVS).

Na visita aos bairros, os agentes orientam moradores, fazem busca ativa de casos suspeitos da doença ainda não notificados à SMS, além de identificar e eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti. “A infestação do vetor da dengue entrou em declínio com a diminuição das temperaturas, mas a notificação de suspeitas de casos da doença nas regiões justifica a ação”, anuncia a diretora da Vigilância em Saúde Municipal, Fernanda Fernandes.

Os agentes percorrem as comunidades identificados com coletes e crachás. A diretora da DVS, Fernanda Fernandes, destaca a importância de os moradores atenderem aos agentes e seguirem as recomendações feitas na visita domiciliar.

Aedes aegypti – O mosquito vetor da dengue, zika e chikungunya, com a ocorrência de temperaturas mais baixas, pode buscar o interior de residências, ambientes de trabalho ou comércios. “Ele é um mosquito domiciliado. Com o aumento do frio, vai procurar abrigo dentro de casa, onde a temperatura estará mais amena, por isso os cuidados no interior dos imóveis devem ser redobrados, especialmente nas regiões com confirmação de casos ou armadilhas com captura de fêmeas infectadas com o vírus”, explica a gestora.

Confira a programação:

Leste: Bom Jesus, Mário Quintana, Morro Santana, Vila Jardim, Jardim Carvalho, Jardim do Salso, Aparício Borges, Jardim Sabará, Lomba do Pinheiro, Partenon, Vila São José

Oeste: Independência, Medianeira, Azenha, Cidade Baixa, Petrópolis, Santa Cecília, Rio Branco, Belém Velho, Cristal

Sul: Lami, Tristeza, Cavalhada, Guarujá, Ipanema, Restinga, Vila assunção, Hípica

Norte: Sarandi, Cristo Redentor, Farrapos, Higienópolis, Jardim Floresta, Jardim Itu, Jardim Leopoldina, Costa e Silva, Rubem Berta, Parque Santa Fé, Passo das Pedras, Santa Rosa de Lima, São Geraldo.

 

Texto: Patrícia Coelho

Edição: Andrea Brasil

 

Dengue: dados semanais indicam queda de notificações de suspeitas

Fatores como diminuição da temperatura e da infestação têm relação com a diminuição dos casos e notificações
09/06/2022 15:40

O Boletim Semanal sobre Arboviroses divulgado na quarta-feira, 8, pela Secretaria Municipal de Saúde, indica a manutenção da queda de notificações de suspeitas de dengue em Porto Alegre. Na semana anterior, foram 321 notificações à vigilância epidemiológica; nesta semana, 263 notificações. O número total de casos autóctones na cidade neste ano está em 2.697. Foram registrados quatro óbitos devido à doença. Os dados estão sujeitos à revisão e incluem informação até 4 de junho.

No total, foram notificadas para a Vigilância Epidemiológica da SMS 4.369 suspeitas de dengue entre moradores da Capital, dos quais 2.796 (63,9%) foram confirmados. Do total de casos, 99 foram importados (infecções contraídas fora de Porto Alegre) ou não têm determinação quanto ao local de infecção e 2.697 contaminações na cidade. Em relação à chikungunya, foram notificadas seis suspeitas, das quais cinco foram descartadas e um caso, importado, foi confirmado. De zika, foram três notificações de suspeita, todas descartadas em exames laboratoriais.

Embora haja confirmação de casos em toda a cidade, os bairros com maior incidência da doença, respetivamente, são Jardim Carvalho, Vila Nova, Bom Jesus, Morro Santana, Vila Jardim, Ruben Berta, Vila São José, Partenon e Ipanema. Mapa de distribuição dos casos confirmados está incluído na publicação semanal.

Além da confirmação dos casos, o Boletim da Semana Epidemiológica 22 traz dados sobre a infestação do mosquito Aedes aegypti, resultantes do monitoramento do Aedes feito pela prefeitura. Nesta semana, foram observados um bairro da cidade de Porto Alegre com alta infestação de mosquitos, cinco em situação de alerta, nove bairros com infestação moderada e 30 bairros com infestação baixa. A baixa da temperatura registrada na semana de análise contribui com a diminuição sustentada da infestação vetorial na cidade.

Os dados estão sujeitos à revisão em virtude da permanente qualificação e podem ser conferidos no Painel de Casos de Dengue, Zika e Chikungunya, neste link.

 

Texto: Patrícia Coelho

Edição: Andrea Brasil

 

Saúde mantém controle da dengue em 31 bairros nesta semana

Agentes fazem busca ativa de casos e eliminam focos de mosquito Aedes aegypti. Ações dão continuidade ao trabalho interrompido por causa do mau tempo
06/06/2022 17:08

A Diretoria de Vigilância em Saúde mantém nesta semana o trabalho de controle da dengue e ações para combate a focos do mosquito Aedes aegypti em 31 bairros da Capital. O mau tempo pode provocar suspensão, adiamento ou cancelamento de trabalhos.

Na visitação aos bairros, os agentes visam orientar moradores, fazer busca ativa de casos suspeitos da doença ainda não notificados à SMS, além de identificar e eliminar criadouros do mosquito, nas zonas Leste, Oeste, Norte e Sul da cidade.

Os agentes percorrem as comunidades identificados com coletes e crachás. A diretora da Vigilância em Saúde de Porto Alegre, Fernanda Fernandes, destaca a importância de os moradores atenderem aos agentes e seguirem as recomendações feitas na visita domiciliar. “A orientação é importante para garantir mais segurança para toda a comunidade visitada”, enfatiza.

Aedes aegypti – O mosquito vetor da dengue, zika e chikungunya , com a ocorrência de temperaturas mais baixas, pode buscar o interior de residências, ambientes de trabalho ou comércios. “Ele é um mosquito domiciliado. Com o aumento do frio, vai procurar abrigo dentro de casa, onde a temperatura estará mais amena, por isso os cuidados no interior dos imóveis devem ser redobrados, especialmente nas regiões com confirmação de casos ou armadilhas com captura de fêmeas infectadas com o vírus”, explica a gestora.

Confira a programação:

Norte - Boa Vsta, Cristo Redentor, Jardim Leopoldina, Rubem Berta, Sarandi, Vila Ipiranga, Costa e Silva, Santa Rosa de Lima.

Leste - Bom Jesus, Jardim Sabará, Lomba do Pinheiro, Mário Quintana, Partenon, Vila Jardim, Vila São José, Três Figueiras.

Oeste - Auxiliadora, Azenha, Cristal, Glória, Medianeira, Petrópolis, Santa Teresa, Santana, Cel. Aparício Borges, Bom Fim.

Sul - Cavalhada, Ipanema, Lami, Nonoai, Vila Nova.

Texto: Patrícia Coelho

Edição: Gilmar Martins