Executivo

Começa a funcionar o Centro de Acolhimento e Isolamento Social na Vila Jardim

22/07/2020 12:49
Jefferson Bernardes/PMPA
EXECUTIVO
Prefeito vistoriou local que receberá pacientes de Covid-19 sem condição adequada de distanciamento

O prédio que abrigava a Escola Estadual Marechal Mallet, na Vila Jardim, passa, a partir da tarde desta quarta-feira, 22, a ter nova destinação: abrigará o Centro de Acolhimento e Isolamento Social (Cais), destinado à população em situação de rua e a pessoas que tenham testado positivo para Covid-19 e apresentem sintomas levas, mas não possuam condições adequadas de distanciamento social. Para o final da tarde, está programada a chegada do primeiro paciente ao local, que foi vistoriado nesta manhã pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior.

“Desde o início da pandemia, Porto Alegre montou uma estrutura de acolhimento e recepção a pessoas mais vulneráveis, que inclui a cesta-básica, como necessidade inicial, 32 banheiros espalhados pela cidade para higienização e a Campanha do Agasalho”, afirma o prefeito. Marchezan acrescenta que, somado a isso, os abrigos e albergues foram reestruturados para terem espaços separados a quem é confirmado com Covid-19.

Parceria - O Cais nasceu de uma parceria entre a prefeitura e a Fundação Itaú para Educação e Cultura (Fiec), por meio do Programa Todos pela Saúde, do Itaú. Porto Alegre foi a primeira cidade da Região Sul do país a receber o projeto, que há dois anos  é desenvolvido em São Paulo. O acordo de cooperação tem validade de três meses e poderá ser prorrogado por mais três. Ao final, os equipamentos e benfeitorias ficarão como legado para a cidade.

“Com apoio do Itaú, estamos entregando este espaço, cujas obras totais chegam a R$ 3,5 milhões, para receber pessoas que não tiverem um local de isolamento depois de serem testadas positivamente, além de pessoas em situação de rua que precisarem de atendimento” - Prefeito Nelson Marchezan Júnior.  

Estrutura - O secretário municipal adjunto de Saúde, Natan Katz, explica que os pacientes serão encaminhados ao Cais pelas unidades de saúde. Pelo acordo, o custo total do projeto é avaliado em R$ 3,5 milhões, que serão subsidiados pelo Itaú Unibanco. A organização e gestão ficam a cargo do Instituto Renascer, e as despesas de água e energia elétrica, por conta da prefeitura.

A estrutura física conta com dormitórios coletivos, sanitários e chuveiros, área de convivência (com televisão, cinema e outras atividades de entretenimento), cozinha e refeitório, sala de teleatendimento, rouparia, sala para reuniões, sistema de monitoramento por câmeras, sala de doação de itens e sala de enfermagem.

O Programa Todos Pela Saúde já disponibilizou R$1 bilhão para financiar ações de enfrentamento ao coronavírus. A Fiec é uma entidade sem fins lucrativos que tem entre os objetivos a promoção da assistência social, a defesa e garantia de direitos e o fortalecimento da sociedade civil. Já o Instituto Renascer é uma entidade que elabora e executa projetos sociais. Além do Cais, o Instituto é parceiro da prefeitura também no acolhimento de pessoas em situação de rua. 

Critérios para ingresso no Cais:

- Ser morador de Porto Alegre.

- Teste RT-PCR positivo.

- Não ter possibilidade de isolamento adequado em casa.

- Ser encaminhado por um profissional de saúde da rede pública.

- Residir com pessoas do grupo de risco ou com idosos com mais de 60 anos.

- Residir com pessoas com comorbidades: HIV, tuberculose, gestante e lactente, câncer, doença pulmonar obstrutiva crônica, obesos, cardiopatas, diabéticos, hipertensos, insuficiência renal grave ou outras doenças relacionadas à imunossupressão.


Para mais informações sobre o coronavírus, clique aqui.

Veja aqui as últimas notícias sobre a pandemia.

  

 

Paulo Fontoura

Rui Felten

volta às aulas em porto alegre

Acompanhe a prefeitura nas redes