Executivo

Prefeitura testa ferramenta para monitorar transporte coletivo

25/06/2020 14:40
Jefferson Bernardes/ PMPA
TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO
Plataforma é capaz de calcular métricas fundamentais para a gestão, como as velocidades dos ônibus por trecho e tempo de viagens

A Prefeitura de Porto Alegre firmou parceria com a Scipopulis, empresa do grupo green4T, para utilizar uma ferramenta que monitora, em tempo real, os ônibus da rede de transporte público. A plataforma pode ser utilizada gratuitamente até março de 2021, com base no Decreto 19.701, que permite o teste de soluções inovadoras que contribuam para questões de relevância pública. O acompanhamento das estatísticas é fundamental para o planejamento e para a operação da rede de transporte coletivo, uma das atividades mais afetadas pela pandemia de Covid-19. 

“Usar a tecnologia para qualificar e agilizar a tomada de decisões é essencial para a cidade, principalmente nesse momento atípico que necessitamos de decisões rápidas e assertivas" - Prefeito Nelson Marchezan Júnior.  

“Temos uma plataforma pronta e de rápida implementação que pode ajudar a evitar aglomerações no transporte público. É nosso papel contribuir para o combate à pandemia e essa foi a forma que encontramos de prestar auxílio”, diz Eduardo Marini, CEO do green4T.
 
A partir de dados de GPS e do GTFS (General Transit Feed Specification - Especificação Geral de Feed de Trânsito) da rede, a ferramenta é capaz de calcular diversas métricas fundamentais para a gestão do transporte, como por exemplo as velocidades dos ônibus por trecho do viário, tempos de viagem, frota circulante, total de passageiros por linha, entre outros. “A expectativa é cruzar esses dados com o que já possuímos para auxiliar a análise diária de demanda e oferta realizada atualmente para qualificar o serviço de transporte da cidade”, explica o secretário extraordinário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello. 
 
Na parceria, a EPTC deve fornecer os dados necessários ao bom funcionamento da ferramenta e zelar pelo funcionamento das plataformas de fornecimento de dados sob sua administração. Esse conjunto de dados a ser fornecido é formado minimamente pela rede de transportes no formato GTFS e as posições dos ônibus de GPS em tempo real. Outras bases de dados como a bilhetagem e a localização de faixas e corredores podem ser fornecidas para habilitar funções avançadas da ferramenta. A EPTC também deve disponibilizar recursos humanos para uso da ferramenta e para reuniões periódicas de acompanhamento e aprimoramento. Já Scipopulis deve corrigir eventuais problemas e implementar melhorias que sejam solicitadas pela prefeitura.

 Para mais informações sobre o coronavírus, clique aqui.

Veja aqui as últimas notícias sobre a pandemia.

Gabriela Duarte

Gilmar Martins

Acompanhe a prefeitura nas redes