Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Meio Ambiente e Sustentabilidade

Ilhas encerram primeira rodada de oficinas do Plano Diretor

09/11/2019 17:25
Maria Ana Krack / PMPA
MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE
Moradores do bairro Arquipélago identificaram carências e potencialidades locais

A primeira rodada do processo de revisão do Plano Diretor terminou na manhã deste sábado, 9, nas ilhas. Moradores do bairro Arquipélago identificaram carências e potencialidades locais, na última das nove oficinas realizadas em todas as Regiões de Planejamento (RPs). O encontro ocorreu no Salão Paroquial da Associação Nossa Senhora da Boa Viagem, com o apoio do padre Rudimar Dal Asta.

O arquiteto Guilherme Castanheira, que coordenou os trabalhos, destaca que as 16 ilhas do bairro Arquipélago integram a RP 2, formada por outros 18 bairros. “A RP2 corresponde a 16,83% do território de Porto Alegre e 12,97% da população. Deste total, as ilhas têm 9,22% do território e 0,6% da população.”

Pelas características distintas e peculiaridades do bairro, o conselheiro de desenvolvimento urbano ambiental da região, Adroaldo Barbosa, solicitou a realização de uma oficina exclusiva para a comunidade. “Este é um momento importante de reconhecer as demandas das ilhas para que o Plano Diretor traga respostas efetivas às nossas necessidades.”

A gestora do Centro de Relações Institucionais e Participativa das Ilhas (Crip Ilhas), Patrícia da Silva Coelho Salcedo, classificou a população do local como resiliente. “Parabéns a todos os presentes. Quero dizer que chegou a nossa vez, porque as Ilhas serão inseridas nesta revisão.”

A diretora de Planejamento Urbano e Sustentável da Smams e coordenadora do processo de revisão do Plano Diretor, Patrícia da Silva Tschoepke, afirmou que a prefeitura reconhece a demanda de definição do regime urbanístico para a região. “Este é o momento de oficializar os anseios das ilhas, que serão incluídas na revisão.”

Os moradores apontaram como temas prioritários questões habitacionais (regularização fundiária, moradias precárias e conflitos entre Áreas de Proteção Permanentes e Áreas de Proteção Ambiental), saneamento (drenagem, esgoto, água e resíduos), desenvolvimento econômico (incentivo ao turismo e valorização das belezas naturais) e impactos de empreendimentos (nova ponte do Guaíba, marinas particulares e casas de alto padrão).

Segunda rodada de Oficinas Temáticas Territoriais - Também passará pelas oito RPs. O cronograma será definido pela Smams, em parceria com os representantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental (CMDUA). Saiba mais sobre o Plano Diretor aqui

  

 

Cibele Carneiro

Andrea Brasil

Acompanhe a prefeitura nas redes