Agora, este é o portal oficial da Prefeitura. Se não encontrar o que precisa, utilize o menu, acesse uma secretaria específica e localize o respectivo link de acesso ao site antigo.
Desenvolvimento Econômico

Pesquisa do Procon aponta maior diferença no preço do material escolar

14/02/2020 16:05
Maria Ana Krack / PMPA
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
Levantamento pesquisou 34 itens da lista escolar de quatro estabelecimentos

Em semana de retorno às aulas, a nova pesquisa do Procon Porto Alegre atesta a importância de se pesquisar os preços antes da aquisição do material escolar. Responsável pela defesa do consumidor, o órgão da Prefeitura de Porto Alegre conferiu novamente os valores de 34 itens escolares em uma amostra de quatro estabelecimentos da Capital. Na média, os produtos mais caros têm preço 185% maior do que os mais baratos. Nas pesquisas anteriores, publicadas em 14 e 30 de janeiro, a variação média foi de 165% e 121%, respectivamente. 

Os dados do levantamento indicam que a proximidade do ano letivo e a corrida para garantir a lista podem contribuir para a elevação dos preços. A tesoura é o item com maior contraste de valor. É possível encontrar uma diferença de mais de 11 vezes entre o maior e o menor valor do produto, por exemplo. Semelhante é o caso do esquadro plástico, que pode ser encontrado com uma diferença de 827%, ou seja, nove vezes o valor do maior para o menor preço. A borracha branca comum também tem considerável disparidade. Em um estabelecimento, o produto custa R$ 0,10, em outro sai por R$ 0,50 - uma variação de 400%.

Entre os estabelecimentos consultados, a Livraria Cervo foi a que reduziu os preços de mais itens em relação à última pesquisa. O caderno espiral pequeno com 96 folhas, por exemplo, diminuiu R$ 5,00, assim como o caderno brochura pequeno com 96 folhas teve redução de R$ 3,00. Já a caneta esferográfica está saindo R$ 1,00 mais barata. “Pesquisar preços é saudável para a economia do consumidor e dos comércios também. Importante observar, pois alguns itens podem custar o dobro ou até mais, conforme o local”, indica a diretora executiva do Procon, Fernanda Borges.

material escolar

 

Juliane Soska

Taís Dimer Dihl

Acompanhe a prefeitura nas redes