Educação

Prefeitura faz nova distribuição de alimentos às famílias de alunos

26/07/2020 09:22
Anselmo Cunha/PMPA
EDUCAÇÃO
Aproximadamente 66 mil alunos serão beneficiados

As famílias dos alunos das redes municipal e comunitária de ensino começaram a receber nova remessa de alimentos destinados pela Prefeitura de Porto Alegre. Os recursos para a aquisição dos gêneros alimentícios são do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), do governo federal. As escolas fundamentais distribuem às famílias ovos, frutas in natura e hortaliças em decorrência da suspensão das aulas devido ao novo coronavírus. As comunitárias de educação infantil repassam aos pais ou responsáveis kits padrão por aluno. Nesta segunda-feira, 27, terá início a compra de kits para toda rede municipal de educação, que organizará o seu próprio cronograma de repasse aos alunos. Ao todo, serão cerca de 66 mil estudantes beneficiados.

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) José Mariano Beck, no bairro Jardim Carvalho, que conta com 687 estudantes, repassava os kits aos familiares, nessa terça-feira, 21. “Esses alimentos são importantes para os alunos, porque muitos pais atuam no mercado informal, e perderam os empregos durante a pandemia. Nossa escola oferecia café da manhã, almoço, café da tarde e jantar, pois temos EJA (Educação de Jovens e Adultos)”, relata a diretora Elizabeth dos Santos Masera.

Enquanto as sacolas de alimentos eram distribuídas, muitos alunos aproveitavam para pegar as tarefas deixadas na escola pelos professores. “Tudo o que damos na plataforma Córtex, também entregamos em papel para os estudantes”, conta Elizabeth. Havia 194 sacolas para serem entregues, e as mães ou responsáveis, respeitavam a distância social e usavam máscara de proteção na fila.

Dura realidade - A primeira pessoa a receber os alimentos na parte da tarde foi Janete Alves de Lima, de 43 anos. Com dois filhos na escola, ela desabafa: “Eu perdi o emprego em abril, depois que disse para a minha patroa sobre o medo do coronavírus. Tenho uma filha com tuberculose e receio passar a doença para ela”. Janete trabalhava na limpeza de um condomínio. “Tudo ajuda”, diz, enquanto equilibra as sacolas e o pacote com ovos.

E quem não está desempregado conhece ou convive com alguém sem fonte de renda. “Meu marido é chaveiro e trabalha com marcenaria. Não tem emprego e nós temos três filhos para sustentar”, explica Serli Silva, de 30 anos, que foi buscar os alimentos com a filha Jasmin, de 11 anos.

Seis pessoas no total vivem na casa de Lucia Helena Fernandes Pereira, 33 anos. A profissional de serviços gerais tenta descontrair um pouco o momento difícil. “Essa ajuda vem em boa hora. As crianças lá em casa adoram ovos. Pena que acaba logo.”

Um dos funcionários da escola, Marco Chamberlain, 30 anos, fez um relato enquanto alcançava as sacolas para as famílias. “Aqui tem muita gente carente”, diz.

Números - Ao término das etapas de entregas, terão sido distribuídas aproximadamente mais 242,752 toneladas de alimentos nas escolas fundamentais (frutas in natura, hortaliças e ovos). Nas infantis comunitárias serão 298,598 toneladas de alimentos não-perecíveis e 13,478 toneladas de gêneros da agricultura familiar, vindos de uma associação de pescadores da Capital. Este montante se soma às 244 toneladas já distribuídas pela Prefeitura de Porto Alegre.

Confira aqui o folder com dicas de como higienizar os alimentos.

Para mais informações sobre o coronavírus, clique aqui.
Veja aqui as últimas notícias sobre a pandemia.

 

André Malinoski

Rui Felten

Acompanhe a prefeitura nas redes