Casal tem acesso a emprego com Programa Moradia Primeiro

24/08/2018 19:02
Cesar Lopes / PMPA
EXECUTIVO
Marcos obteve vaga para oficial de manutenção; Luciana, para auxiliar de limpeza

O casal selecionado pelo Programa Moradia Primeiro deu mais um passo para a independência. Na mesma semana em que tiveram acesso a uma residência, através da iniciativa da prefeitura, Marcos Vinicius Pias, 36 anos, foi selecionado para uma vaga de oficial de manutenção na quarta-feira, 22. Nesta sexta-feira, 24, Luciana da Silva Camargo Pias, 40 anos, também foi selecionada para uma vaga de auxiliar de limpeza. Os dois iniciam os exames admissionais na próxima semana.

O prefeito Nelson Marchezan J√ļnior comemorou o sucesso da iniciativa. ‚ÄúS√£o exemplos como estes que queremos para Porto Alegre, com o munic√≠pio criando condi√ß√Ķes para que as pessoas possam sair de situa√ß√£o de vulnerabilidade‚ÄĚ, afirmou. O secret√°rio municipal de Sa√ļde, Erno Harzheim, lembrou da constru√ß√£o do Plano Municipal de Supera√ß√£o de Rua. ‚ÄúTrouxemos para Porto Alegre o que h√° de mais contempor√Ęneo em a√ß√Ķes com pessoas em situa√ß√£o de rua‚ÄĚ, salientou Harzheim, enfatizando os primeiros resultados.

Histórico - Na terça-feira, 21, foi assinado o primeiro termo de concessão do Programa Moradia Primeiro. A iniciativa faz parte do Plano Municipal de Superação de Rua. O casal, que havia seis meses morava em uma praça na rua Irmão José Otão, agora tem endereço fixo no Centro Histórico. Marcos e Luciana comemoraram a oportunidade de voltar a ter um lar. Eles foram morar na rua há seis meses depois que não conseguiram mais pagar o aluguel da casa onde viviam na Quinta do Portal. 

O Programa Moradia utiliza recursos oriundos de convênio com o Ministério da Justiça, no total de R$ 1,8 milhão, sendo R$ 18 mil de contrapartida da administração municipal. A prefeitura recebeu, até agora, R$ 356 mil. O acordo prevê 306 bolsas auxílio-moradia no valor de R$ 500, sendo 153 bolsas por semestre. 

A prefeitura pré-selecionou 70 pessoas para receber o benefício e, até o momento, 24 imóveis foram registrados no site criado para manifestação de interesse de proprietários. Dos 24, cinco foram vistoriados pelo Departamento Municipal de Habitação (Demhab). 

Plano Municipal de Supera√ß√£o da Situa√ß√£o de Rua¬†-¬†O Plano Municipal de Supera√ß√£o da Situa√ß√£o de Rua, elaborado pela Secretaria Municipal de Sa√ļde (SMS) e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (SMDSE), √© composto por seis estrat√©gias que envolvem a integra√ß√£o de diversas secretarias. S√£o elas: Qualifica√ß√£o da Abordagem, Programa Moradia Primeiro, Amplia√ß√£o da Rede de Sa√ļde Mental, Aumento da Ofertas de Oportunidades, Revitaliza√ß√£o do Espa√ßo Urbano e Monitoramento da Assist√™ncia.

Entre as a√ß√Ķes do plano est√° o acordo de coopera√ß√£o com a Federa√ß√£o Das Empresas de Transportes Rodovi√°rios do Estado do Rio Grande Do Sul (Fetergs) e a Associa√ß√£o Rio-Grandense de Transporte Intermunicipal (RTI), que possibilita o fornecimento gratuito de passagens de √īnibus intermunicipais e interestaduais para as pessoas em situa√ß√£o de vulnerabilidade social, especialmente em situa√ß√£o de rua que desejam resgatar v√≠nculos comunit√°rios com suas fam√≠lias e retornarem √†s cidades de origem. O acordo foi firmado em junho e at√© agora dez pessoas j√° voltaram para suas cidades.

De acordo com o grupo de trabalho respons√°vel pelo Plano Municipal da Supera√ß√£o da Situa√ß√£o de Rua, s√£o v√°rios os fatores que levam as pessoas para a situa√ß√£o de rua: apenas 5% dos moradores de rua da Capital est√£o nesta situa√ß√£o por op√ß√£o e 50% deles moram h√° mais de cinco anos em locais p√ļblicos. Entre os motivos, 50% t√™m problemas com o uso de drogas, 45% perderam os v√≠nculos familiares e 5% possuem problemas graves de sa√ļde mental.

 

Gilmar Martins