Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Saúde

Pronto atendimentos terão leitos e serviços ampliados na Capital

22/10/2019 16:37
Joel Vargas / PMPA
executivo
Marchezan: Incremento de leitos será de 76% e atendimentos terão acréscimo de 5mil/mês

O prefeito Nelson Marchezan Júnior assinou na tarde desta terça-feira, 22, no Salão Nobre do Paço Municipal, o Termo de Colaboração com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM). A organização social sem fins lucrativos será a responsável pela gestão e operação dos pronto atendimentos da Bom Jesus e da Lomba do Pinheiro.  Entre os benefícios do contrato está o número de leitos, que passará de 25 para 44, aumento de 76%. Os atendimentos terão acréscimo de 5 mil/mês e os serviços social e de farmácia serão 24 horas, antes eram restritos ao horário comercial.

A parceria possibilitará a melhoria de estrutura e atendimento à população, além de otimizar os recursos públicos com agilidade na aquisição e substituição de bens, inclusive com maior custo-benefício. “Estamos felizes que a associação paulista esteja na Capital com sua expertise, trazendo novas tecnologias de gestão. Queremos que os porto-alegrenses sintam mais rápido os benefícios que muitas outras cidades já conhecem”, afirma Marchezan. O prefeito destacou, ainda, que as ações na saúde são baseadas em evidências e que essa assinatura simboliza a etapa de uma reformulação maior, que trará mais qualidade ao serviço público. “Tenho convicção que estamos no caminho certo, pois enquanto a maioria das cidades fecha leitos hospitalares nós abrimos mais, ampliamos os atendimentos e reduzimos as filas de espera por consulta”, destaca.

A assistência aos usuários será ampliada com maior oferta de exames laboratoriais, exames nas salas de emergência e de observação e qualificação de fluxos. A SPDM ainda será responsável pela remoção de pacientes dos pronto atendimentos para os hospitais com vaga, dando mais agilidade no encaminhamento para hospitais.

O secretário municipal de Saúde, Pablo Stürmer, explica que com a qualificação do atendimento será possível adequar a área física e os fluxos de trabalho para viabilizar as habilitações dos pronto atendimentos em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) junto ao Ministério da Saúde, o que trará novas receitas federais de custeio para a Secretaria Municipal de Saúde. Hoje, as unidades Bom Jesus e Lomba do Pinheiro são chamadas de UPAs, mas não oferecem serviços à altura para ser reconhecida como tal pelo governo federal e receber recursos. “Nossa equipe tem se esforçado para ampliar os serviços na velocidade e qualidade que a sociedade precisa. Temos convicção que esta proposta é sustentável e podemos avançar mais”, diz.

Segundo o diretor-técnico da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, Jorge José Neto,  a entidade vai trabalhar para que a transição ocorra de forma tranquila e de acordo com as diretrizes da Secretaria Municipal de Saúde. “Este é um modelo interessante, traz vantagens e não concorre com o funcionário público”, ressalta. A organização deverá estar operando dentro de 30 dias. Com cerca de 42 mil colaboradores,  a associação é uma das maiores entidades de natureza filantrópica de saúde do Brasil e está presente em sete estados. Atua na gestão de serviços de saúde há 86 anos e conta com 515 unidades/serviços gerenciadas, entre eles o Hospital São Paulo, em São Paulo, administrado desde 1933.

Presente no ato de assinatura, o vereador Moisés Barboza disse que muitos dos vereadores compreendem os benefícios da contratualização na área da saúde. “Parabenizo esta gestão por ter coragem para enfrentar as mudanças que precisam ser feitas. O importante é prestar serviço público de qualidade”, completa.

Também participaram da solenidade o secretário municipal de Comunicação, Orestes de Andrade Jr, o diretor-geral do Demhab, Amâncio Ferreira; o diretor de Atenção Hospitalar da Secretaria Municipal da Saúde, João Marcelo Lopes Fonseca; e os gestores dos CRIPs Tatiana Valenci; Marcelo Centeno; Rodrigo Carpe e Lia Bernau, entre outros representantes de entidades.

 

 

Como é

Como vai ficar

Leitos

as duas unidades juntas tem 25 leitos

passarão a contar com 44 leitos

76% a mais

Atendimentos

13 mil/ mês

18 mil/mês

5 mil a mais

Serviço Social

atendimento em horário comercial

atendimento 24 horas

Farmácia

horário comercial

 24 horas

Remoção pacientes

Samu

transporte sanitário (contrato específico) -  mais  agilidade


 

 

Lissandra Mendonça e Neemias Freitas

Fabiana Kloeckner

Acompanhe a prefeitura nas redes