Defesa Civil

Abrigo montado pela prefeitura recebe famílias atingidas pela cheia

12/07/2020 17:37
Divulgação / PMPA
SMSURB
Escola passou por desinfecção devido aos cuidados com a pandemia do novo coronavírus

Com o nível do Lago Guaíba acima do normal, a prefeitura segue em alerta para atender as famílias ribeirinhas. O abrigo emergencial do Município, montado na Escola Estadual Alvarenga Peixoto, na Ilha dos Marinheiros, foi preparado para receber os desabrigados. Na noite de sábado, 11, chegaram quatro famílias que tiveram suas casas alagadas devido às chuvas dos últimos dias. O espaço foi limpo por equipes do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) e, na manhã deste domingo, 12, recebeu o serviço de desinfecção.

Equipes da Defesa Civil do Município e da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) estão no abrigo 24 horas acolhendo as pessoas e organizando os espaços para que seja respeitado o distanciamento social. São oferecidas quatro refeições diárias, além de cobertores, roupas e materiais de higiene. Neste domingo, uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) visitou a escola e fez uma avaliação preventiva nas famílias.

O abrigo começou a ser montado na sexta-feira, 10. Na escola estão reservadas dez salas de aula, cozinha, dois banheiros com chuveiro quente e uma sala administrativa. Um total de seis famílias - 15 pessoas - estão no local. A coordenação geral da ação fica sob a responsabilidade da Comissão Permanente de Atuação em Emergências (Copae).

A última medição do Guaíba, da tarde deste domingo, mostra que o nível da água está 2,31 metros, sendo que o normal é 1,2 metro. A recicladora Vitoria Santos da Rosa lamentou as perdas. Moradora da Ilha dos Marinheiros desde 2012, veio para a região quando um amigo da mãe indicou a compra de uma casa com baixo valor.  "Nunca tinha vindo para um abrigo, só via na televisão. A estrutura e a comida são muito boas", diz Vitória, que está no local com o marido e um filho.

Mesmo com o abrigo e toda estrutura à disposição, muitos moradores resistem em deixar suas casas. Até as 19h de sábado, a força-tarefa havia vistoriado residências nas Ilhas do Pavão, Marinheiros, Flores e Pintada para constatar a segurança dos moradores, sendo feita a retirada de famílias de áreas de risco. Muitas delas foram para casas de parentes. Quatro famílias deram entrada no abrigo montado pela prefeitura. São 14 pessoas, sendo sete adultos e seis crianças.

Campanha do Agasalho - Colchões, alimentos, roupas e material de higiene estão à espera dos moradores no abrigo da prefeitura graças ao recorde de doações da Campanha do Agasalho desse ano, que superou a marca das 360.629 mil peças de roupas faltando um mês para o término da campanha. As doações podem ser feitas até 14 de agosto. Segundo a primeira-dama, Tainá Vidal, o recorde de doações para a campanha representa o tamanho da solidariedade do porto-alegrense em uma época de pandemia, em que está difícil para todos. “Todas as pessoas merecem, sobretudo as em vulnerabilidade social, terem atenção, serem respeitadas e ter o devido cuidado. E o porto-alegrense tem demonstrado que é um povo solidário e que sempre procura ajudar quem precisa”, destaca.

Locais de arrecadação

- Central de Triagem - avenida Taquara, 579, todos os dias das 10h às 16h;

- Estádio do Internacional (entrada pela rua Nestor Ludwig), todos os dias, das 10h às 17h;

- Escola do Grêmio, no Centro de Treinamento Parque Cristal - avenida Diário de Notícias, 915, de segunda a sexta-feira, também das 10h às 17h.

  

 

Camila Ferro e Luis Adriano Madruga

Taís Dimer Dihl

Acompanhe a prefeitura nas redes