Serviços Urbanos

Equipes da prefeitura seguem mobilizadas para minimizar impactos da chuva

30/06/2020 20:41
Divulgação SMSUrb / PMPA
SMSURB
Até as 18h, foram registrados pelo menos 15 casos envolvendo quedas de árvores ou galhos
Desde a madrugada desta terça-feira, 30, a prefeitura está mobilizada para minimizar os estragos causados pelas chuvas que atingiram a cidade, e que devem seguir nesta quarta-feira. Equipes das secretarias municipais de Serviços Urbanos (SMSUrb), Meio Ambiente e Sustentabilidade (Smams), Defesa Civil, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) e Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) trabalham no atendimento a ocorrências, limpeza e desobstrução de ruas.
 
Em menos de 12 horas choveu cerca de 70 milímetros em Porto Alegre, mais da metade da média histórica para todo mês de junho, que é de 134 milímetros, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com a Defesa Civil do Município, o grande volume, em pouco tempo, provoca acúmulo de água em vários pontos da cidade. 
 
Trânsito - Até as 17h30 desta terça, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) restabeleceu 36 conjuntos semafóricos e finalizou 58 ocorrências em razão dos impactos da chuva que atingiu a Capital. Desde o início da tempestade, na madrugada, foram registrados 11 pontos de alagamento com bloqueio total, 21 com bloqueios parciais de uma faixa, 11 locais com acúmulo de água sem bloqueios, além de dois bloqueios parciais e um total devido à queda de vegetal na via.
 
Arborização - Até as 18h, foram registrados pelo menos 15 casos envolvendo quedas de árvores ou galhos, em atendimento pelas Equipes de Manejo Arbóreo (EMA) da SMSUrb. Equipes de zeladoria urbana do DMLU, também atuaram na limpeza e no recolhimento de lixo espalhados pelo evento climático. 
 
Alagamentos - Com a chuva forte, desde a madrugada dessa terça-feira, técnicos do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) trabalharam em serviços de desobstrução de redes e valas e as estações de bombeamento de águas pluviais (casas de bombas) funcionaram dentro das suas capacidades. Entre os locais atendidos pelas equipes, está o Arroio Capivara, na avenida Tramandaí. O local estava obstruído por troncos e entulhos, descartados irregularmente nas ruas e margens do arroio. Com o volume de chuva, esses resíduos se acumulam, impedindo o escoamento natural da água. Nesta quarta, equipes do DMLU programaram nova limpeza do Capivari. No Arroio Sarandi, estão previstas ações de dragagem em alguns trechos.
 
Investimentos - Para amenizar os transtornos com alagamentos em locais que há décadas sofrem com a falta de investimentos em estrutura de drenagem, a prefeitura realiza obras importantes, como a macrodrenagem do Arroio Areia e a duplicação da capacidade das casas de bomba, que era de 40% em 2017 e hoje está em 80%. A maior obra de macrodrenagem da história da Capital, que vai minimizar os transtornos com alagamentos, principalmente na Zona Norte, está em andamento. A macrodrenagem da Bacia do Arroio Areia conta com um conjunto de 26 obras, sendo que duas já estão prontas e outras seis em andamento.
 
Serviços e conscientização - Além de investimentos na infraestrutura de drenagem, o auxílio da população é essencial para diminuir os problemas em dias de chuva. Mesmo que as equipes realizem limpezas periódicas de remoção de resíduos, com o alto volume de chuva, todo o lixo jogado irregularmente pelos moradores nas ruas ou margens dos arroios obstruem as canalizações e valas, impedindo o escoamento natural das águas.
 
Denúncias de descarte irregular de resíduos podem ser feitas por meio do telefone 156. Solicitações de manutenção e serviços pluviais também podem ser realizadas através do 156, opção 2.
 
Leia também:
 

Gilmar Martins

Acompanhe a prefeitura nas redes