Água e Esgotos

Vento em Belém Novo causa turbidez da água e desabastecimento

25/05/2020 18:13
Brayan Martins / PMPA
Praça José Comunal - Belém Novo
Previsão é que na quarta-feira, 27, seja possível retomar a capacidade total da estação de tratamento

O vento que atingiu Porto Alegre no sábado, 23, causou excesso de turbidez (coloração) na água captada no Lago Guaíba para o Sistema Belém Novo. O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) teve que reduzir a produção de água da Estação de Tratamento de Água (ETA) Belém Novo, o que impactou o fornecimento de água para os bairros das regiões Extremo Sul e Leste. Com a redução do vento no domingo à noite, foi possível aumentar a produção da ETA e todos os bombeamentos foram retomados abastecendo o sistema. Na tarde desta segunda-feira, 25, com o retorno do vento forte na baía de Belém Novo, foi necessário reduzir a vazão novamente e alguns bairros podem observar intermitência no abastecimento, como Aberta dos Morros, Belém Novo, Chapéu do Sol, Hípica, Lageado, Lami, Lomba do Pinheiro, Pitinga, Ponta Grossa e Restinga.

A previsão é que o vento mude de direção na quarta-feira, 27, e seja possível retomar a capacidade total da ETA Belém Novo. Eventos como esse ocorrem eventualmente, mas este ano estão mais frequentes, aliados a níveis excessivamente baixos do Guaíba, aumentando a agitação do solo de fundo.
 
Por que ocorreu a turbidez - Os ventos fortes do quadrante oeste (ciclones extratropicais), associados ao baixo nível do Lago Guaíba em razão da forte estiagem que assola o Estado, provocaram em alguns períodos de abril e maio um aumento expressivo na turbidez da baía de Belém Novo, com valores que passaram de menos de 100 para mais de 1.000 NTUs (unidade de turbidez), atingindo em cheio o ponto de captação e limitando a capacidade de tratamento na ETA Belém Novo. 
 
Por que impacta no tratamento da água - Os eventos climáticos somados ao fato de que a ETA Belém Novo opera no limite da sua capacidade causam intermitência no abastecimento porque a produção de água é reduzida pelo excesso de cor na água captada. Com isso, as estações que bombeiam a água para os locais mais distantes e altos são impactados e ficam sem nível.
 
O Dmae não pode distribuir uma água produzida que não atenda aos padrões de potabilidade estabelecidos pelo Ministério da Saúde e da Secretária do Estado. A turbidez é um dos índices que são monitorados, sendo fundamental seu atendimento dentro dos padrões exigidos.

Saiba mais:

Ponta do Arado: duas empresas são habilitadas para construção de adutora
 
 

 

 

Aline Antunes Coelho

Gilmar Martins

Acompanhe a prefeitura nas redes