Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Executivo

Melhor para o bem-estar e saúde de cães e gatos é ter um lar

10/07/2019 09:54
Cesar Lopes/PMPA
COMUNICAÇÃO
Mãe e filha adotaram dois filhotes do projeto Me Adota?

O cuidado com a saúde e o bem-estar dos animais de rua é uma preocupação da administração pública municipal. Porto Alegre se tornou referência nacional no atendimento de cães e gatos desde que a Unidade de Saúde Animal Victória (Usav), na Lomba do Pinheiro, entrou em operação em fevereiro de 2017. No local, são oferecidos os serviços gratuitos de atendimento e castração para exemplares em situação de vulnerabilidade (incluindo vítimas de maus-tratos e atropelamentos) e pertencentes a donos de baixa renda que não podem pagar por tratamento.

Construído ao custo de R$ 7 milhões doados pelo empresário Alexandre Grendene, o hospital se localiza na Estrada Berico José Bernardes, número 3.489, na divisa da Capital com Viamão. Devido à contribuição, o projeto recebeu o nome de Victória, uma de suas filhas. Com sete veterinários e 21 manejadores, a instituição funciona de segunda a sexta-feira das 8h30 ao meio-dia e das 13h30 às 17h.

Os benefícios para a causa animal no local são grandes. Em média, a instituição atende diariamente 20 animais e oferece 25 castrações. Por mês, são mais de 460 bichos esterilizados. Somente no primeiro semestre deste ano, o número alcançou 2.270 cães e gatos. Com os resultados de apenas seis meses, a expectativa é grande de superar os 2.802 de 2017 e os 3.770 de 2018.

Uma das médica-veterinárias da unidade alerta que a rua não é o local mais adequado à permanência de animais. “Eles ficam sujeitos às variações do ambiente, como atropelamentos, brigas com outros animais, podem morder pessoas ou sofrer outros tipos de traumas”, alerta. O mais indicado sempre, segundo ela, é oferecer o acesso à adoção, onde receberá carinho e cuidados especiais de uma família.

De acordo com o coordenador da Usav, Bruno Wagner, a questão sanitária dos pets que vivem nas ruas também demanda atenção especial. “A aglomeração de animais numa área pode gerar infestação parasitária (pulgas e carrapatos), reprodução desenfreada e aumento populacional, caso outros cães e gatos atraídos para o local não sejam castrados”, explica.

Além disso, os restos de comida deixados no ambiente podem atrair outras espécies, como ratos e pombas, grandes transmissores de doenças. A limpeza da via pública pode ficar comprometida se não houver manutenção regular da área.

Convivência saudável - Outra circunstância que pode envolver os animais em situação de rua ou soltos em vias públicas é o territorialismo. Com o tempo, eles podem se tornar uma ameaça de mordedura à população, principalmente às crianças e aos idosos, enquanto a preocupação deveria ser o incentivo à relação saudável de convivência entre bichos e humanos.

“Manter os animais na rua não é recomendável devido à territorialização, que afeta o direito de outras pessoas circularem nas áreas de uso coletivo”, ressalta o especialista em mobilidade urbana, Benamy Turkienicz, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). “Também devemos lembrar que as demais pessoas podem se sentir ameaçadas, pois não há como garantir que não ocorrerão ataques em nenhum momento”, finaliza.

Novo lar - Para evitar que os animais vivam em via pública, a Prefeitura indica que o caminho ideal para todo cão de rua é encontrar uma casa. Foi com esse intuito que a fonoaudióloga Fabiana Zanini, 45 anos, acompanhada da mãe, Leda, 69, adotaram dois filhotes na Unidade de Saúde Animal Victoria. Petúnia e Barbixa ganharam um novo lar para substituir o antigo cão delas que morreu recentemente por complicações de saúde. “Eu amo os animais e acho super importante a adoção para que eles tenham uma chance de viver num lar e serem felizes e amados”, defende Fabiana.

Adote um cão - O programa ‘Me Adota?’, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams), oferece a possibilidade de adotar um pet na instituição veterinária. Atualmente, a Usav conta com 71 animais que recebem cuidados permanentes e estão disponíveis para adoção. Desde o início de 2019, mais de 80 cães e gatos ganharam um novo lar. Quem tiver interesse em adotar, deve marcar a visitação pelo telefone 3289-8920.

 

Gonçalo Valduga

Fabiana Kloeckner