Meio Ambiente e Sustentabilidade

Smams e adotantes promovem melhorias no lago do Parcão

17/02/2020 11:14
Sérgio Louruz/SMAMS PMPA
MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE
Desde 2018, Smams e adotantes do parque buscavam alternativas viáveis e seguras

Foi iniciada na manhã desta segunda-feira, 17, uma ação para melhorar o fluxo e a qualidade da água no lago do Parque Moinhos de Vento (Parcão). O objetivo é combater o problema recorrente enfrentado nas épocas de verão, em que, além da proliferação de algas (eutrofização), a evaporação da água aumenta e a parte mais rasa do lago fica seca, provocando riscos à fauna local. 

Desde 2018, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) e os adotantes do parque - Melnick Even, Grupo Dimed (Panvel), Grupo Zaffari e Hospital Moinhos de Vento – buscavam alternativas viáveis e seguras. Sem interferir na vegetação, uma área próxima ao moinho, que está assoreada e impede o fluxo de água, será dragada. Para evitar impactos à fauna, o local em que ocorrerá a dragagem será isolado com redes finas. 

Paralelamente, uma bomba será instalada do lado oposto ao moinho, onde o lago é mais profundo. Por meio de uma canalização subterrânea, a água será bombeada para uma pequena cascata, levando mais água para a parte que tem secado nos períodos de verão. Além de ampliar o fluxo de água na parte mais rasa, a bomba irá contribuir com a oxigenação do lago e reduzir os problemas ligados à eutrofização. 

O secretário Germano Bremm destaca que o investimento na melhoria é de R$ 80 mil, patrocinado pelos adotantes. “Apesar de a intervenção não integrar o escopo do Termo de Adoção, os adotantes estão proporcionando esta importante medida para o lago, trabalho que deve ser concluído até a primeira quinzena de março.” A intervenção será realizada pela empresa Biota-Geom Gestão Ambiental, com acompanhamento permanente da Equipe de Fauna Silvestre, da Unidade de Educação Ambiental e da Coordenação de Áreas Verdes da Smams. Além do uso de cerquites nos locais em que ocorrerão a intervenção, o caminhão-pipa, que já vinha abastecendo o lago de forma emergencial, será utilizado para a manutenção do nível da água até a conclusão dos trabalhos. 

Conforme o responsável técnico da ação, o biólogo Walter Koch, a bomba submersa terá capacidade para dispersar cerca de 17 mil litros de água por hora e seu funcionamento foi planejado para não oferecer riscos à fauna e facilitar futuras manutenções. “Além disso, este dispositivo vai ajudar a oxigenar o lago, melhorando a qualidade da água para os animais que ali vivem”, explica o especialista em peixes. Como a parte mais funda do lago possui olhos d’água, a expectativa é que, após a dragagem de cerca de 200 m³ de lodo, a situação de circulação da água do lago melhore.

A coordenadora da Equipe de Fauna da Smams, Soraya Ribeiro, destaca que o abandono de animais nos parques urbanos é um sério problema enfrentado no local e responde pela quase totalidade dos animais que hoje vivem no lago. A soltura, afirma a bióloga, é atividade vedada pela Lei Federal de Crimes Ambientais 9605/98.

Também estiveram presentes a secretária-adjunta Viviane Diogo, o coordenador de Áreas Verdes, Alex Souza, a gerente de lançamentos da Melnick Even, Claudia Lima, a gerente de marketing do Grupo Zaffari, Adiane Dalmás, e Carlos Alberto de Freitas Lima, representante da Panvel.   

 

Cibele Carneiro

Taís Dimer Dihl

Acompanhe a prefeitura nas redes