Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Cultura

América Latina inspira espetáculo de Felipe Hirsch no POA Em Cena

13/09/2018 10:02
Patricia Cividanes/Divulgação PMPA
América Latina inspira espetáculo de Felipe Hirsch no POA Em Cena
Elenco inclui nomes como Caco Ciocler e Julia Lemmertz

Um dos espetáculos nacionais mais aguardados do 25º Porto Alegre Em Cena, A tragédia e comédia latino-americana, terá duas sessões, nesta quinta-feira, 13, e sexta-feira, 14, sempre a partir das 21h, no Theatro São Pedro. A peça da companhia Ultralíricos, dirigida e idealizada por Felipe Hirsch, discute a identidade plural da América Latina, buscando referências em vários autores do continente. O público do Em Cena poderá assistir também a uma conversa com Felipe Hirsch, nesta sexta-feira, 14, às 11h, no Teatro Renascença, com entrada franca.

Os ingressos custam entre R$10 (meia-entrada galeria) até R$ 80, para plateia e camarote central e podem ser adquiridos no site, na bilheteria oficial (BarraShoppingSul, em frente à antiga Fnac) e no Centro Municipal de Cultura em dias de espetáculo.

O texto do espetáculo é construído a partir de fragmentos de obras de escritores de diferentes épocas e países. Glauco Mattoso, Lima Barreto, Augusto de Campos e Roberto Bolaño são alguns deles. A ideia é despertar reflexões sobre temas como educação, violência, consumo desenfreado, protestos, binarismo político e ideológico, não valorização da cultura e falta de consciência histórica. Consagrado por trabalhos arrojados, que aliam teatro, música, literatura e artes visuais, Hirsch propõe uma encenação que desmistifique fronteiras, tanto físicas como imaginárias, inclusive misturando idiomas.

O elenco inclui nomes conhecidos, como Caco Ciocler e Julia Lemmertz. A cenografia de Daniela Thomas e Felipe Tassara aparece como uma grande metáfora visual, composta por blocos de isopor que, ao longo das cenas, são arrastados pelos atores, deixando rastros, como imensos tijolos que se desgastam. O compositor gaúcho Arthur de Faria assina a direção musical. A tragédia e a comédia latino-americana, díptico que compila duas montagens, faz parte de uma trilogia iniciada em 2013, com Puzzle, e completada no ano passado, com a estreia do espetáculo Selvageria.

A tragédia e comédia latino-americana (SP)
Quinta e sexta-feira, 13 e 14, às 21h, no Theatro São Pedro
Recomendação etária: 16 anos
Duração: 180min
Ingressos
Plateia e camarote central: R$ 80 e R$ 40 a meia-entrada
Camarote Lateral: R$ 60 e R$ 30 a meia-entrada
Galeria: R$ 20 e R$ 10 a meia-entrada
Vendas no site , bilheteria oficial (BarraShoppingSul, em frente à antiga Fnac) e no Centro Municipal de Cultura em dias de espetáculo.

Conversa com Felipe Hirsch
Sexta-feira, 14, às 11h, no Teatro Renascença
Entrada franca

Ficha técnica
Idealização e direção geral: Felipe Hirsch
Elenco: Caco Ciocler, Camila Márdila, Danilo Grangheia, Georgette Fadel, Javier Drolas, Julia Lemmertz, Magali Biff, Manuela Martelli, Nataly Rocha e Pedro Wagner
Direção musical e arranjos: Arthur de Faria

Interpretação musical: Ultralíricos Arkestra - Arthur de Faria (piano e sintetizadores), Adolfo Almeida Jr. (fagote e efeitos), Mariá Portugal (bateria, glockenspiel e tímpanos), Gustavo Breier (processamentos eletrônicos), Georgette Fadel (trompete), Pedro Sodré (guitarras e overdrives)
Autores: Pablo Katchadjian, J.R.Wilcock, Salvador Benesdra, Marcelo Quintanilha, Glauco Mattoso, Reinaldo Moraes, Dôra Limeira, Lima Barreto, Samuel Rawett, Augusto de Campos, Roberto Bolaño, Cabrera Infante, Gerardo Arana, Juan Villoro e Hector Galmés
Direção de arte: Daniela Thomas e Felipe Tassara
Iluminação: Beto Bruel
Figurino: Veronica Julian
Preparação vocal: Simone Rasslan
Coreografia e preparação corporal: Renata Melo
Engenheiro de som: Gustavo Breier
Assistente de iluminação e operadora de luz: Sarah salgado
Produção executiva: Bruno Girello
Direção de produção: Luís Henrique (Luque) Daltrozo

Programação desta quinta-feira, 13, do POA em Cena:

Diálogos com os curadores
15h, no Saguão do Centro Municipal de Cultura
Apresentação: Fernando Zugno
Participação de integrantes dos núcleos dos festivais e de curadores Internacionais

Qual a diferença entre o charme e o funk?
19h, no Teatro do Sesc
A peça é baseada em memórias dos artistas negros em cena, que recontam de variadas formas suas experiências, unindo elementos de teatro, dança e música, em cenas autônomas e sensoriais. Com direção de Thiago Pirajira, a montagem de estreia do grupo Pretagô contextualiza o movimento de uma juventude marcada pela esperança e que anseia trazer à luz sua cultura.

Pequeno Trabalho para Velhos Palhaços
19h, no Teatro do Centro Histórico-Cultural da Santa Casa
Com direção de Adriane Mottola, a peça celebra as trajetórias dos artistas Arlete Cunha, Sandra Dani e Zé Adão Barbosa, em um clima de ironia e deboche que remete ao Teatro do Absurdo. O texto do romeno Matéi Visniec, um dos principais dramaturgos contemporâneos, reflete sobre as disputas de poder e traz à tona o questionamento sobre os invisíveis, os desacreditados, os artistas.

A tragédia e comédia latino-americana (SP)
21h, no Theatro São Pedro
Construído a partir de obras de autores latino-americanos, o espetáculo da companhia Ultralíricos, idealizado e dirigido por Felipe Hirsch, sugere reflexões acerca de questões como educação, violência, consumo desenfreado, binarismo ideológico e falta de consciência histórica. A cenografia, em blocos de isopor, propõe uma grande metáfora visual, na qual atua um elenco com nomes como Caco Ciocler e Julia Lemmertz.

A Bergman affair (França/Itália)
21h, no Teatro Renascença
Montagem de estreia da companhia The Wild Donkeys, o espetáculo tem inspiração no romance Private Conversations (1996), do sueco Ingmar Bergman (1918-2007). Concebida pelo ator e diretor Serge Nicolaï e pela atriz Olivia Corsini (integrantes do renomado grupo francês Théâtre du Soleil), a peça combina teatro, dança e vídeo e aborda de forma original e profunda, por vezes psicanalítica, os jogos amorosos adultos.

Agulha Em Cena
22h - Cavala – Maria Beraldo (SP)
(rua Conselheiro Camargo, 300 - São Geraldo)

Porto Alegre Em Cena - A 25ª edição do Porto Alegre Em Cena propõe uma reflexão sobre o Brasil, reunindo grupos e espetáculos locais, nacionais e internacionais, até 23 de setembro. Diferentes palcos da cidade recebem 49 espetáculos de dança, teatro e música, além de atividades paralelas e formativas. O tema geral do Em Cena é o Brasil, contemplando questões históricas, étnicas e culturais. “Queremos discutir o Brasil de forma abrangente. Isso envolve a África, a Europa, a América, o interior do Brasil, os índios, o território, a democracia e a história. Queremos discutir território, imigração, enfim, essa formação de Brasil, de quem somos nós”, explica o coordenador-geral do festival, Fernando Zugno.

Histórico - A primeira edição do Porto Alegre Em Cena foi lançada em 1994. Desde então, o festival oferece anualmente cerca de 50 espetáculos a preços populares, em praças públicas, teatros e espaços alternativos. A cada edição, o Porto Alegre Em Cena atrai uma média de 100 mil espectadores. Nesses 25 anos, já trouxe para a cidade artistas como Peter Brook, Hanna Schygulla, Denise Stoklos, Paulo Autran, Tônia Carrero, La Fura del Baus, Philip Glass, Zé Celso, Fernanda Montenegro e muitos outros.

Ingressos - Os ingressos, com preços a partir de R$ 10, são vendidos na bilheteria oficial (no BarraShoppingSul, em frente à antiga Fnac) e no site uhuu.com/poa-em-cena. Veja as informações sobre os ingressos

Veja a íntegra das programação - Espetáculos, Reflexões Em Cena e Atividades Formativas

Leia mais:
25º Porto Alegre Em Cena propõe reflexão sobre o Brasil

 

 

 

Andrea Brasil

Acompanhe a prefeitura nas redes