Agora, este é o portal oficial da Prefeitura. Se não encontrar o que precisa, utilize o menu, acesse uma secretaria específica e localize o respectivo link de acesso ao site antigo.
Saúde

Município vacina 490 mil contra a gripe e alcança 68% da meta

19/05/2020 15:31
Alex Rocha/PMPA
SAÚDE
Doses estão disponíveis até 5 de junho em 40 farmácias parceiras da prefeitura e mais de 100 unidades de saúde

Com a última fase da campanha nacional iniciada dia 11, foram aplicadas 490.750 doses de vacina contra a gripe em Porto Alegre, o que representa 68% da meta geral de 715 mil pessoas. Registros do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) até as 17h de segunda-feira, 18, mostram que foram imunizados 9,8 mil adultos entre 55 e 59 anos e 1,5 professores das redes pública e privada, grupos prioritários da semana, sendo que a meta da Capital é vacinar 10.683 professores e 72.990 adultos de 55 a 59 anos. As doses estão disponíveis até 5 de junho em 40 farmácias parceiras da prefeitura e mais de 100 unidades de saúde  (confira os locais). Crianças devem ser imunizadas nas unidades de saúde para manter o acompanhamento do calendário vacinal.

"O sucesso da campanha da vacinação, com o público-alvo procurando pela imunização, alivia as demandas da atenção básica e deixa o sistema livre para atender casos de coronavírus", afirma o prefeito Nelson Marchezan Júnior.

No caso dos demais públicos desta fase, foram vacinadas 14.720 crianças, 2.319 gestantes, 292 puérperas (mulheres que tiveram bebês até 45 dias) e 1.084 pessoas com deficiência. A meta é imunizar 81,3 mil crianças na faixa etária de seis meses a menores de seis anos, 12,5 mil gestantes, duas mil puérperas e 45 mil pessoas com deficiência. Os índices apontados pelo Ministério da Saúde correspondem a 90% da estimativa populacional. 

Os grupos prioritários estão mais sujeitos a complicações se forem infectados pelo vírus influenza, por isso, a prefeitura destaca a importância da imunização. A coordenadora do núcleo de imunizações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Renata Capponi, explica que a vacina é inativada e não oferece risco de causar a doença. “Pelo contrário, evita óbitos e internações causados pelo influenza”, esclarece. A reação comum é dor local por até 24 horas, e a proteção começa cerca de 15 dias após a aplicação. 

A vacina não protege contra o novo coronavírus, mas evita complicações causadas pelos vírus Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B linhagem B/Victoria, que podem levar o paciente a internações hospitalares. 

Vacinação na Capital até 18 de maio:

Idosos - 245.956

Trabalhadores de saúde - 92.390

Doenças crônicas não transmissíveis (comorbidades) - 86.788

Crianças - 14.720

Gestantes - 2.319

Puérperas - 292

Pessoas com deficiência - 1.084

Forças de segurança e salvamento - 23.819

Trabalhadores do transporte coletivo - 4.477

Caminhoneiros - 1.267

Portuários - 430

Povos indígenas - 582

População privada de liberdade - 4.137

Funcionários do sistema prisional - 1.144

Adultos de 55 a 59 anos - 9.821

Professores - 1.570

Para mais informações sobre vacinação, clique aqui.

Para mais informações sobre o coronavírus, clique aqui.
Veja aqui as últimas notícias sobre a pandemia

 

Vanessa Conte

Rui Felten

Acompanhe a prefeitura nas redes