Atenção Primária à Saúde

A Atenção Primária à Saúde é o conjunto de ações em saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem promoção, prevenção, proteção, diagnóstico, tratamento, reabilitação redução de danos, cuidados paliativos e vigilância em saúde, desenvolvida por meio de práticas de cuidado integrado e realizada por equipes multiprofissionais, dirigida para uma população em território definido sob responsabilidade das equipes de saúde. É norteada pela Política de Atenção Primária do Município de Porto Alegre, que visa delimitar princípios e diretrizes gerais de organização dos serviços.

Locais de Atendimento

Unidades de Saúde

Nas Unidades de Saúde (US) são realizados atendimentos na hora ou agendados, consultas e procedimentos médicos, de enfermagem, odontológicos e farmacêuticos, vacinação, ações de promoção em saúde, retirada de insumos e medicamentos.

Informações sobre as Unidades de Saúde do município.

Serviços de Saúde Mental

Acompanhamento de pessoas com problemas de saúde mental graves e persistentes como a esquizofrenia, transtorno esquizoafetivo, transtorno bipolar, autismo e uso de drogas, com atendimento feito por equipe multiprofissional.

Informações sobre os serviços de saúde mental do município.

Unidades de Saúde com Farmacêutico

Região Sul

CF José Mauro Ceratti Lopes
Estrada João Antonio da Silveira, 3330 – Bairro Restinga
07 - 22h

CF Tristeza
Av. Wenceslau Escobar, 2442 - Bairro Tristeza
13 - 22h

US Beco do Adelar
Av. Juca Batista, 3480 - Bairro: aberta dos Morros
13h - 19h

US Campo Novo
Rua Colina, 160 - Bairro Campo Novo
13h - 19h

US Chapéu do Sol
Rua Gomercindo de Oliveira, 75 – Bairro Chapéu do Sol
11h - 17h

US Guarujá
Av. Guarujá, 190 - Bairro Guarujá
13h - 19h

US Lami
Rua Nova Olinda, 202 – Bairro Lami
10h - 19h

US Moradas da Hípica
Rua Geraldo Tollens Linck, 235 - Bairro Hípica
13h - 19h

US Restinga
Rua Abolição, 850 – Bairro Restinga
10h - 19h

Região Leste

CF Campo da Tuca
R. Cel. José Rodrigues Sobral, 958 – Vila São João – Bairro Partenon.
13h - 22h

CF Morro Santana
Rua Marieta Menna Barreto, 210 - Bairro PROTASIO ALVES
13h - 22h

US Bananeiras
Av. Coronel Aparício Borges, 2494 - Bairro Coronel Aparício Borges
08h - 14h

US Bom Jesus
Rua Bom Jesus, 410 - Bairro Bom Jesus
13h - 19h

US Chácara da Fumaça
Av - Estr. Martim Félix Berta, 2432 - Mário Quintana, Porto Alegre
13h - 22h

US Ernesto Araújo
Rua Ernesto Araújo, 443 - Bairro PARTENON
13h - 19h

US Lomba do Pinheiro
Estrada João de Oliveira Remião, 6111, Parada 13 - Bairro Lomba do Pinheiro
08h - 14h

US Mapa
Rua Coronel Jaime Rolemberg de Lima, 92 - Bairro Lomba do Pinheiro
13h - 19h

US Panorama
Rua Rômulo da Silva Pinheiro , S/N , parada 16 Lomba do Pinheiro
13h - 19h

Região Oeste

CF Primeiro de Maio
Av. Professor Oscar Pereira, 6199 - Bairro Cascata
13h - 22h

CF Santa Marta
Rua Capitão Montanha, 27 - Bairro Centro Histórico
13h - 22h

US Cristal
Rua Cruzeiro do Sul, 2702 - Bairro Santa Tereza
13h - 19h

US Glória
Av. Professor Oscar Pereira, 3229 - Bairro Glória
13h - 19h

US Nossa Senhora de Belém
Rua João do Couto, 294 - Bairro Belém Velho
13h - 19h

US Vila Cruzeiro
Av. Capivari, 2020 - Bairro Santa Tereza
13h - 19h

Região Norte

CF Diretor Pestana
Rua Dona Teodora, 1016 - Bairro FARRAPOS
13h - 22h

US Assis Brasil
Av. Assis Brasil, 6615 - Bairro Sarandi
13h - 19h

US Conceição
Rua Álvares Cabral, 429 - Bairro Cristo Redentor
08h - 14h

US Floresta
Rua Conselheiro D'Ávila, 111 - Bairro Jardim Floresta
08h - 14h

US Jardim Leopoldina
Rua Orlando Aita, 130 - Bairro Protásio Alves
08h - 14h

US Parque dos Maias
Rua Francisco Galecki, 165 - Bairro Rubem Berta
08h - 14h

US Ramos
Rua K esquina Rua R C, S/N  - Vila Nova Santa Rosa, Bairro Rubem Berta
10h - 22h

US Rubem Berta
Rua Wolfram Metzler, 675 - Bairro Rubem Berta
13h - 19h

Informações sobre os Serviços

Cartão SUS

O documento tem como objetivo cadastrar todos os cidadãos ao Sistema Único de Saúde (SUS), visando organizar a rede de atenção à saúde e, com isso, facilitar o acesso de todos os usuários às ações e serviços que venham a necessitar ao longo das suas vidas. 

Saiba mais sobre as principais etapas do serviço

Consultório na Rua - População em Situação de Rua

São serviços específicos da Atenção Primária em saúde, para atendimento e articulação do cuidado das pessoas em situação de rua, na rede do SUS. Em Porto Alegre, as equipes de CNR trabalham junto com as de abordagem social, da Assistência Social e com os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), formando as equipes do “Juntos na Rua”. Buscam trabalhar de forma intersetorial, construindo com cada pessoa atendida as possibilidades de cuidado. Mesmo com a existência das equipes de CNR, todos os outros serviços de saúde devem atender as pessoas em situação de rua, sem exigência de documentação. Portaria 940/2011

As pessoas em situação de rua têm direito de acessar todo e qualquer serviço de saúde do SUS, sem a necessidade de apresentar documento de identificação e/ou comprovante de residência. 

ATENÇÃO! As equipes de Consultórios na Rua não são serviços de urgência e emergência! Elas trabalham de forma itinerante, portanto não atendem na base e sim nos territórios. Dessa forma, quando acontecerem situações de risco de vida, deve ser acionado o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), por qualquer pessoa. 

Para situações de urgência e emergência, acionar o SAMU através do número 192. As equipes de CNR não são referência para atendimentos que envolvam riscos iminentes de morte.

 

Consultórios na Rua

Em Porto Alegre existem 4 equipes de CNR ligados à esfera municipal e uma ligada à federal através do Grupo Hospitalar Conceição. 

  • As equipes da Região do Centro estão ligadas à Coordenadoria de Saúde Oeste, com bases no Posto de Saúde Modelo e outra no Santa Marta, que atendem de forma itinerante nos territórios e não na base.
    • Consultório na Rua Santa Marta 
      • Rua Capitão Montanha, nº 27, Centro Histórico. Telefone: (51) 3289-2985 
      • Email: consultorionaruacentro@gmail.com 
    • Consultório na Rua Modelo
      • Rua Jerônimo de Ornelas, n°55, Santana. Telefone: (51) 99586-4929
  • A equipe que atende nos territórios do Humaitá/Navegantes/Ilhas está ligada à Coordenadoria de Saúde Norte.
    • Consultório na Rua GHC 
    • Rua Alfred Sehbe, nº 45, Vila Ipiranga. Telefone: (51) 3340-1239 
    • Email: consultorioderua@ghc.com.br
  • A equipe que atende na Região Sul/Extremo/Sul está ligada à Coordenadoria Sul.
    • Consultório na Rua Restinga 
    • Rua Álvaro Difini, nº 520, Restinga - CF Álvaro Difini. Telefone: (51) 4076-5011 
    • Email: cnr.restingaextremosul@gmail.com 

Para solicitar abordagem social para pessoas em situação de rua: 156 opção 7

Outros Serviços

Demais serviços de interesse como restaurantes populares ou albergues podem ser encontrados diretamente no site da Fundação Municipal de Assistência Social (FASC)

 

Área Técnica

A Área Técnica de Saúde da População em Situação de Rua (ATS POPRUA), faz a supervisão, apoio e a gestão das equipes de Consultórios na Rua, assim como articula ações, fluxos, protocolos e outras estratégias, para o cuidado em saúde desta população específica. Trabalha a partir das diretrizes da política de equidades e, intersetorialmente, com outras políticas, participa de ações para a garantia de direitos do público em questão.

Está situada no Núcleo de Equidades (NEQ), na Coordenação de Políticas Públicas em Saúde (CPPS), no Departamento de Atenção Primária em Saúde (DAPS), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), monitorando, assessorando serviços e facilitando processos, no que tange a garantia do acesso, a prevenção, os tratamentos de agravos e o direito fundamental à saúde das pessoas em situação de rua. A ATS POPRUA também se responsabiliza pelos relatórios de gestão e planos operativos relacionados à política que compõe.

De acordo com a Política Nacional para a População em Situação de Rua, através do decreto n° 7.053 de 2009, entende-se como população em situação de rua “o grupo populacional heterogêneo que possui em comum a pobreza extrema, os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados e a inexistência de moradia convencional regular, e que utiliza os logradouros públicos e as áreas degradadas como espaço de moradia e de sustento, de forma temporária ou permanente, bem como as unidades de acolhimento para pernoite temporário ou como moradia provisória.” Ao falar da População em Situação de Rua, temos de compreender sua heterogeneidade e todas as interseccionalidades que a compõem.

A expressão ‘pessoa’ ou ‘população em situação de rua’ se estabeleceu em oposição às expressões que geralmente se referem a essas pessoas como “moradores de rua” ou “mendigos”. Atualmente, a compreensão de que estar na rua é um processo, não um estar permanente ou definitivo, mas uma condição passageira, situacional. As razões de ida para rua, geralmente, estão relacionadas com conflitos familiares, violência doméstica, desemprego, consumo abusivo de substâncias psicoativas, problemas psíquicos, existem inúmeras situações que levam uma pessoa a estar em situação de rua.

A PSR está imersa em uma condição de vulnerabilidade social, sendo elas, recorrentemente culpabilizadas pelo contexto em que se encontram e responsabilizadas por outros problemas de ordem social (como tráfico, degradação da cidade), e por serem entendidas enquanto ameaça, a PSR é alvo de ações higienistas e excludentes, como a expulsão das regiões centrais da cidade, retirada de seus pertences, espancamentos, chacinas e o impedimento do acesso a serviços públicos, como saúde, contribuindo para a invisibilidade e corroborando com a sua condição de vulnerabilidade, perpetuando o ciclo de violência. Dessa forma, é preciso que a população em geral entenda, compreenda este fenômeno ligado aos fatores de desigualdade social e precarização da vida, auxiliando ao poder público no atendimento a essa população. Contamos com a contribuição de todos para dirimir riscos e incluir as pessoas em situação de rua aos serviços de saúde e de outras políticas, através dos canais de acesso. 

Área Técnica de Saúde da População em Situação de Rua:
Telefone: (51) 32892894 - Email: saudepoprua@portoalegre.rs.gov.br

Povos Indígenas

Caracterizada como um diferencial de atuação dos municípios na saúde indígena, a Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena de Porto Alegre é itinerante e atende seis aldeias (Kaingang Fág Nhin, Oré Kupry, Tupe Pen, Van-Ká, Komãg; e a Charrua Polidoro).

Implantada em 2013, a EMSI atua nas Unidades de Saúde Indígena, vinculadas a Coordenadoria de Saúde Leste, e é formada por uma médica de família e comunidade, uma enfermeira, um cirurgião-dentista, uma técnica de saúde bucal, três técnicos de enfermagem (uma indígena, que permanece na sua aldeia), três agentes indígenas de saúde e três agentes indígenas de saneamento.

A gestão dessa equipe é compartilhada com o Polo Base Porto Alegre da SESAI/MS (Secretaria Especial de Saúde Indígena). Porto Alegre recebe recursos estaduais por meio da Portaria N° 635/2021 da SES/RS, que define os critérios de habilitação e a forma de distribuição do recurso financeiro do componente de incentivo a Promoção da Equidade em Saúde do Programa Estadual de Incentivos para a Atenção Primária à Saúde (PIAPS), incluindo a atenção primária à saúde dos povos indígenas.

Saúde da Mulher

Nas Unidades de Saúde as mulheres porto-alegrenses terão acesso aos seguintes serviços:

  • Saúde sexual e reprodutiva:
    • Informações sobre contracepção (métodos disponíveis, eficácia, vantagens e desvantagens, indicações e contraindicações);
    • Informações e orientações para pré-concepção;
    • Contracepção cirúrgica (Ligadura Tubária);
  • Pré-natal: 
    • Acompanhamento com  consultas, exames e encaminhamento para os casos de gestação de risco.
    • Visita à maternidade de referência
  • Prevenção e detecção precoce do câncer de mama e do colo do útero:
    • Consulta, exames e orientações 

Busque sua Unidade de Saúde de referência para realização de exames de rotina, entre eles:

  • Citopatológico do Colo do Útero: Este exame previne contra o câncer do colo do útero.
  • Mamografia (mulheres de 50 a 69 anos): Este exame detecta precocemente câncer de mama. Diagnóstico precoce aumenta em 95% a chance de cura

Em caso de atraso menstrual superior a 7 dias, você pode buscar sua Unidade de Saúde para realização de Teste Rápido de Gravidez. Se o resultado for positivo, a Unidade já fará sua primeira consulta de Pré-Natal.
Na primeira consulta de pré-natal a gestante já é informada sobre qual a maternidade que deve buscar no momento do parto.
A Unidade de Saúde acompanhará todo o seu Pré-Natal e fará encaminhamento para consulta no Ambulatório de Pré-Natal de Alto Risco, caso haja necessidade.
 

Área Técnica

A Área Técnica da Saúde da Mulher atua para promover a atenção integral à saúde das mulheres em todos os ciclos de vida, tendo em vista as questões de gênero, de orientação sexual, de raça/etnia e os determinantes e condicionantes sociais que impactam na saúde e na vida das mulheres. Preconizando a assistência humanizada e qualificada em todos os níveis de atenção, realizando ações focadas na organização do acesso aos serviços de promoção, prevenção, assistência e recuperação da saúde

Pílula do Dia Seguinte (Contracepção de Emergência):

Em caso de relação sexual desprotegida, você pode ir à sua Unidade de Saúde e solicitar a pílula do dia seguinte para evitar uma gestação indesejada. 

Além do método anticoncepcional, use camisinha! Só a camisinha protege de infecções sexualmente transmissíveis e HIV.

Camisinha rompeu na relação sexual (consulte a área de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis logo abaixo)

Pegue camisinha feminina ou Camisinha masculina em qualquer Unidade de Saúde

Assistência às Mulheres Vítimas de Violência Sexual

Atendimento em Saúde em caso de VIOLÊNCIA SEXUAL É UMA EMERGÊNCIA!

Se você sofreu uma violência sexual busque o mais rapidamente possível a emergência de um dos Hospitais abaixo

  1. Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas
  2. Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  3. Hospital Fêmina
  4. Hospital Nossa Senhora da Conceição

Em qualquer um destes serviços você receberá atendimento para: 

Prevenir Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs e HIV)

Prevenir Gravidez (Pílula do dia seguinte)

 

NÃO é necessário boletim de ocorrência policial para receber estes cuidados de saúde.

Pessoas vítimas de violência sexual, entre 9 e 45 anos, tem direito à  vacinação contra o HPV, se ainda não vacinadas. O serviço de atendimento de Violência, fará o encaminhamento para a vacinação.

Você terá  também acompanhamento multiprofissional (médico, enfermagem, psicologia, serviço social)

E se você ficar grávida em decorrência de uma Violência Sexual, saiba que tens direito ao Aborto Legal. Procure o mais rápido possível um dos hospitais acima.

folheto violencia1 (1)_page-0001.jpg

 

Saúde da População Negra

A Área Técnica de Saúde da População Negra pertence ao Núcleo de Equidades (NEQ), que faz parte da Coordenação de Políticas Públicas em Saúde (CPPS) da Diretoria de Atenção Primária em Saúde (DAPS).
Baseado nos dados referentes às iniquidades em saúde, principalmente da população negra, foi criada por meio da Portaria nº 992, de 13 de maio de 2009, a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra com o objetivo de promover a saúde integral desta população, priorizando a redução das desigualdades étnico-raciais, o combate ao racismo e à discriminação nas instituições e serviços do SUS. Anualmente é publicado o Boletim Epidemiológico da Saúde da População Negra que busca trazer uma análise temática pela vigilância em saúde a fim de promover a educação permanente de trabalhadores e gestores, fortalecer o diagnóstico epidemiológico das situações de saúde da população negra e orientar ações institucionalizadas para diminuir a desigualdade racial

Promotores Jovens

O curso de Promotores Jovens em Saúde da População Negra é realizado anualmente e tem como foco a juventude negra do município de Porto Alegre e tem o objetivo de promover o debate e a implementação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) através da qualificação de jovens como agentes multiplicadores/as na luta por direito à saúde e contra todas as formas de discriminação racial, como o racismo institucional, sendo protagonistas na construção do cuidado em saúde da juventude negra. 

O Curso Promotoras/es Jovens busca instrumentalizar e qualificar jovens sobre a temática da saúde da população negra com foco na juventude, para atuar junto aos 4 Comitês Técnicos de Saúde da População Negra em cada coordenadoria de saúde de Porto Alegre, de acordo com o território em que seu domicílio está localizado. No ano de 2023, o curso foi realizado na Casa de Cultura Mário Quintana, nos meses de setembro e outubro, aos sábados, nos turnos da manhã e tarde.

Públicos elegíveis: Juventudes em situação de vulnerabilidade da cidade de Porto Alegre-RS, priorizando lideranças comunitárias, juventude negra quilombola, juventude negra com deficiência, juventude negra LGBTQIAP+,  juventude negra imigrante, juventude negra institucionalizada (Abrigos, FASE, Acolhimentos Institucionais) e juventude negra em cumprimento de medidas socioeducativas.

Promotores de Saúde da População Negra

O curso de promotores de saúde da População Negra é realizado anualmente e busca ser um dos instrumentos de qualificação dos trabalhadores, para que atuem como multiplicadores de ações antirracistas nos territórios, entendendo-se que sem o enfrentamento ao racismo não é possível garantir atenção integral à saúde, conforme preconizado pela Política Nacional de Saúde Integral da População Negra  (PNSIPN), que busca contribuir para o enfrentamento das iniquidades em saúde e do racismo, que têm impacto direto nos indicadores de saúde da população negra. No ano de 2023, a formatura do curso ocorreu no dia 26 de outubro.
Público alvo: Trabalhadores/as da saúde, gestores/as e movimento social. 

Projeto Meia Lua

O projeto Meia Lua está inserido dentro da Linha de Cuidado das pessoas que vivem com a Doença Falciforme no município e tem como proposta oferecer um espaço de cuidado, saúde mental e de fortalecimento de vínculos em que seja possível oportunizar estratégias de geração de renda a partir da arte. Destina-se a pessoas que vivem com a Doença Falciforme e familiares/cuidadores, não sendo necessário conhecimentos prévios sobre técnicas de artesanato.

No ano de 2023, foi realizada a segunda edição do projeto, sendo que as atividades ocorrem semanalmente, em todas as quintas-feiras, das 14 às 17 horas, no Centro de Desenvolvimento de Expressão, na Casa de Cultura Mario Quintana.
Contato: saudepopnegrasmspoa@portoalegre.rs.gov.br

Linha de Cuidado da Doença Falsiforme

Com o objetivo de reduzir a morbimortalidade pela Doença Falciforme (DF) em Porto Alegre, foi lançada no ano de 2023, a Linha de Cuidado da Doença Falciforme. Essa iniciativa visa proporcionar atendimento integral ao usuário, seguindo um itinerário terapêutico baseado no conceito ampliado de saúde.

O enfoque é direcionado para intervenção e resposta às necessidades, abrangendo desde a promoção até a recuperação, com ênfase no monitoramento e tratamento. Essa abordagem é sustentada pela formação de uma rede transversal de atenção à saúde, visando melhorar significativamente a qualidade de vida dos pacientes com DF.

Semana de Saúde da População Negra

A Semana de Saúde da População Negra faz parte do Calendário de Datas Comemorativas e de Conscientização do Município de Porto Alegre a partir da LEI Nº 13.072, DE 4 DE MAIO DE 2022. No ano de 2023, ocorreu a II Semana de Saúde da População Negra no período de 24 a 30 de outubro e consistiu em atividades como feira afroempreendedora, rodas de conversa, ações nos territórios, entre outras atividades. 

Dia do Promotor e Promotora de Saúde da População Negra

No dia 27 de agosto é comemorado o dia do promotor e promotora de saúde da população negra. No ano de 2023, a comemoração ocorreu no Parque Farroupilha/Redenção no município e contou com atividades como rodas de conversa, atividades de promoção em saúde, feira com produtos das oficinas de geração de renda para pessoas que vivem com a Doença Falciforme (Projeto Meia Lua) e oficinas.

Comitês Técnicos de Saúde da População Negra

Considerando a necessidade de promover a articulação das ações que visam    implementar a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra nos territórios, para viabilizar o avanço na equidade da atenção à saúde, foi criado através da Portaria 723/2015, 04 (quatro) Comitês Técnicos Regionais de Saúde da População Negra, sendo 01 (um) em cada coordenadoria de saúde.As coordenações dos comitês são compostas atualmente por:

Região Norte: Magali Casanova Marques 
Região Sul: Caroline Silva
Região Leste: Luiza Farias, Gabriela Carvalho
Região Oeste: Iara Regina Martins Rodrigues, Dagma de Fátima da Silva

Cada comitê têm por objetivo desenvolver atividades com foco na saúde da população negra, abrangendo as múltiplas facetas de cada território que possam se apresentar, e podendo ser pensadas a partir de um olhar transversal e multidisciplinar. 
 

Saúde da População Imigrante, Refugiada e Apátrida

Mediadores Interculturais

O Projeto Mediadores Interculturais conta com imigrantes senegaleses, haitianos e venezuelanos, fluentes na língua portuguesa, para mediações linguísticas presenciais ou remotas entre pessoas da mesma nacionalidade (usuários e mediadores) e as equipes de saúde.


Os Mediadores Interculturais podem ser acessados pelo WhatApp: (51) 8902-7789.

mediadores interculturais - voce conhece.jpg

Fluxo de Atendimento de Imigrantes, Refugiados e Apátridas na Atenção Primária à Saúde:

Os  Imigrantes, Refugiados e Apátridas têm direito ao acesso à saúde, assim como os nacionais, independente da sua condição migratória e documental, conforme regem os princípios do SUS de universalidade, integralidade e equidade, de acordo com a Lei 8.080/90 e a Lei de Migrações n° 13.445/17.

O atendimento à população imigrante deve ser realizado independentemente de sua documentação. - Deve ser gerado o Cartão Nacional de Saúde (CNS) - também conhecido como Cartão SUS - temporário, com as informações de nome e data de nascimento. É possível realizar a atualização do mesmo posteriormente, adicionando as demais informações.

A falta de documento NÃO deve ser um impeditivo para a criação do CNS e para a realização do atendimento.

Documentação Válida para Imigrantes, Reguiados e Apátridas:

  • Carteira de Registro Nacional Migratório (CRNM), uma atualização do Registro Nacional de Estrangeiro (RNE) - Ambos servem como documento de Identificação equivalente ao Registro Geral (RG) e também são conhecidos como de “Cartão de Residência”;
  • Passaporte; 
  • Carteira de Trabalho; 
  • CPF; 
  • Protocolo de Solicitação de Refúgio e
  • Protocolo de Solicitação de Moradia.

Área Técnica

A Área Técnica da Saúde do Imigrante, Refugiados e Apátridas está vinculada ao Núcleo de Equidades - NEQ na Coordenação de Políticas Públicas em Saúde - CPPS da Diretoria de Atenção Primária em Saúde - DAPS. Surgiu em novembro de 2018 com o objetivo de promover políticas públicas de saúde a imigrantes, refugiados e apátridas. 

Contato pelo e-mail saudedoimigrante.sms@gmail.com

Responsável pela Área Técnica da Saúde dos Imigrantes, Refugiados e Apátridas: Rita Buttes
Fone: (51) 3289-2705
E-mail: rbuttes@portoalegre.rs.gov.br 


Mais informações: Biblioteca Virtual da Atenção Primária à Saúde - Imigrantes

Saúde dos Povos Ciganos

O atendimento à população autodeclarada cigana que resida ou esteja acampada na cidade de Porto Alegre deve ser realizado independentemente de sua documentação.

Fluxo de Atendimento aos Povos Ciganos

A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre orientou seus profissionais  a promoverem a  imunização contra Covid 19 de pessoas autodeclaradas ciganas, que residam ou estejam acampadas na cidade de Porto Alegre, cumprindo o requisito da faixa etária vigente, não sendo necessário apresentar comprovante de residência como pré-requisito obrigatório para esta população. 
Na ausência de documentação do usuário (a) deve ser gerado o Cartão Nacional de Saúde (CNS) - também conhecido como Cartão SUS - temporário, com as informações de nome e data de nascimento. É possível realizar a atualização do mesmo posteriormente, adicionando as demais informações.

Área Técnica

Responsável pela Área Técnica da Saúde dos Povos Ciganos
Rita Buttes
Fone: (51) 3289-2705
E-mail: rbuttes@portoalegre.rs.gov.br 

Saúde da Criança e do Adolescente

A Área Técnica da Saúde da Criança e do Adolescente atua na promoção de ações voltadas ao cuidado da saúde de crianças e adolescentes, compreendendo a faixa etária de 0 a 12 anos incompletos como crianças e de 12 até 18 anos como adolescentes. A AT busca apoiar os diferentes níveis de atenção à saúde para atuação integrada do cuidado às faixas etárias descritas, preconizando a assistência humanizada e qualificada, realizando ações voltadas para a organização do acesso aos serviços de promoção, prevenção, assistência e recuperação da saúde. Por meio do monitoramento contínuo dos principais indicadores de saúde para as populações descritas, identifica as potencialidades e fragilidades da rede auxiliando a gestão no planejamento e execução das melhores estratégias de qualificação. 

Prevenção de Agravos e Promoção de Saúde

Sono seguro
A posição de dormir do bebê é um dos principais cuidados para a prevenção da morte súbita do lactente. 
Clique aqui para conhecer a posição do sono seguro.
Clique aqui para conhecer o que fazer quando um bebê se engasga
  
Acidentes na Infância
A vigilância contínua das crianças e alguns cuidados são fundamentais para evitar acidentes na infância que podem trazer sérios riscos à saúde e à vida das crianças.
Para saber mais sobre os principais cuidados para evitar acidentes na infância clique aqui.

Exposição às telas e estimulação do desenvolvimento infantil
As crianças e os adolescentes estão cada vez mais expostas às telas e esta situação interfere no pleno desenvolvimento das mesmas, uma vez que pode interferir no sono, no comportamento, na concentração, no aprendizado e na visão. Por isso é fundamental manter alguns cuidados relacionados ao tempo de exposição, clicando aqui você encontra informações com os cuidados necessários a serem adotados.

Prevenção de doenças infecciosas no ambiente escolar 
O ambiente escolar, dado à sua característica, pode facilitar a transmissão de doenças. Para que haja redução dos riscos, são necessários alguns cuidados. Também é importante que os pais ou responsáveis observem alguns cuidados quando houver necessidade de uso de medicação pelas crianças. Para saber mais sobre os cuidados para evitar a transmissão de doenças e para o uso de medicamentos no ambiente escolar clique aqui.

Programa Porto Olhar Alegre

card_site__porto_olhar (1)_page-0001.jpg

Clique aqui e acesse a versão em PDF

Saúde do Adolescente

A  adolescência é um momento de explosão de sentimentos e os adolescentes têm direito de sentir e viver cada um deles com segurança. Quando houver necessidade de esclarecer dúvidas ou ainda buscar atendimento, vá até a Unidade de saúde do teu bairro, lá você vai encontrar as informações que precisa.
Para esclarecer, o(a) adolescente tem direito a ser atendido(a) desacompanhado(a) e de receber todas as informações sobre os procedimentos de saúde necessários. A obrigatoriedade da presença dos pais ou responsáveis não deve inviabilizar o acesso ao serviço de saúde.

Para maiores informações sobre a saúde do adolescente, busque sua unidade de saúde ou confira aqui os materiais do projeto "Te Liga": 
Cards e Cartaz

Vacinação

A vacinação é essencial para manter a criança saudável desde o nascimento. As vacinas ajudam o sistema de defesa da pessoa a combater infecções de maneira mais eficiente, provocando uma resposta imunológica do corpo a doenças específicas. As vacinas são seguras pois passam por rigorosos testes de segurança antes de serem aprovadas para a população.
Todas as vacinas do Programa Nacional de Imunizações (PNI) estão disponíveis nas Unidades de Saúde de Porto Alegre. Acesse aqui o calendário vacinal infantil.
Em algumas situações específicas de crianças com doenças crônicas, exposição à doenças agudas, prematuridade ou ainda eventos adversos prévios, poderá ser necessária a aplicação de vacinas especiais que são disponibilizadas nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE).
Em Porto Alegre temos dois serviços com CRIE:
CRIE - Hospital Materno Infantil Presidente Vargas
CRIE Hospital Sanatório Partenon 
Se você tiver dúvidas em relação à indicação de vacinas especiais, busque a Unidade de Saúde de referência e você receberá as informações necessárias.

Para os adolescentes existe um calendário vacinal específico e é fundamental que esteja atualizado para promover a imunidade. Acesse aqui o calendário vacinal do adolescente.
Destaque para a vacina do HPV (Papiloma Vírus Humano) que age na prevenção do câncer do colo do útero, assim como câncer de pênis, garganta e ânus. 
Meninas e meninos do sexo feminino e masculino, entre 9 e 14 anos de idade são a faixa etária adequada para receber a vacina. A definição desta faixa etária  tem como objetivo proteger as crianças antes do início da vida sexual, ou seja antes de ter contato com o vírus.
A vacina está disponível nas Unidades de Saúde e o esquema vacinal é de duas doses com intervalo de seis meses entre elas.

Violência contra a Criança e o Adolescente

A violência é um fenômeno complexo, multifatorial que pode deixar marcas profundas. As crianças e os adolescentes por se encontrarem em estágio de desenvolvimento, são as vítimas mais vulneráveis à violência. Esse fenômeno se manifesta de diversas formas, seja por meio de negligência, abandono, maus tratos, agressões físicas, psicológicas, sexuais, autoprovocadas, entre outras. As consequências decorrentes da sua exposição, muitas vezes, são irreversíveis e implicam em danos físicos, psicológicos e intelectuais, causando prejuízos no seu crescimento e no pleno desenvolvimento.
Frente a esse contexto, alguns preceitos legais surgem no intuito de prevenir e reduzir a ocorrência dos episódios de violência. No Brasil, com a Constituição Federal de 1988, a legislação avançou sobremaneira no combate a qualquer forma de tratamento desumano e na garantia dos direitos das crianças e adolescentes (BRASIL, 1988). Em seu artigo 227, expressa o direito à inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral, abrangendo a identidade, a autonomia, os valores, as ideias e o direito de opinião da criança e do adolescente. 

Programa Primeira Infância Melhor

Política Pública Intersetorial de prevenção e promoção da primeira infância que tem como público alvo famílias em situação de vulnerabilidade social, com gestantes e crianças de 0 a 6 anos de idade que estejam fora da escola.

Os visitadores realizam apoio e orientação às famílias atendidas, através da escuta-ativa, da problematização da realidade vivida, de ações de articulação e encaminhamentos das demandas para a rede de serviços, com foco na promoção do desenvolvimento infantil e fortalecimento de vínculos, pautado no viés da parentalidade positiva, com acompanhamento semanal a partir de plano singular de atendimento, com estimulação de habilidades e competências sócio-afetivas, neurosensoriais, cognitivo-motoras e de linguagem, de acordo com cada faixa etária, através da realização de atividades lúdico-pedagógicas com brinquedos/materiais confeccionados de sucata e/ou de recursos do contexto familiar. https://www.pim.saude.rs.gov.br/site/o-pim/o-que-e/ 

Unidades de Saúde que contam com visitadores do PIM PIÁ:

Coordenadoria Norte: Rubem Berta, Ilha dos Marinheiros, Ramos, Santa Rosa, Farrapos, Mário Quintana e Fradique Vizeu;
Coordenadoria Sul: Restinga, Clínica da Família Mauro Ceratti, Quinta Unidade, Clínica da Família Álvaro Diffini, Lami e Chapéu do Sol;
Coordenadoria Leste: Recreio da Divisa, Panorama, Mapa, Timbaúva, Wenceslau Fontoura, Bom Jesus e Laranjeiras
Coordenadoria Oeste: Moab Caldas, Cristal, Vila Cruzeiro, Cruzeiro do Sul, Santa Tereza e Primeiro de Maio

Contato:
Telefones: (51) 3289-1715/1775
E-mail: pimpia@portoalegre.rs.gov.br

Saúde da População Idosa

Porto Alegre apresenta 23,2% da sua população de idosos, um aumento significativo, que corresponde a 320.000 idosos. O processo de envelhecimento é um processo heterogêneo, ou seja, cada um envelhece de forma diferente, de acordo com os cuidados à saúde, principalmente na prevenção de doenças e agravos. Neste sentido, nas Unidades de Saúde encontramos os seguintes serviços:

  • Agendamento de consultas por telefone ao público idoso e portadores de deficiência;
  • Grupos de educação em saúde com temas sobre hipertensão, diabetes, entre outros, com objetivo de prevenção e manutenção à saúde;
  • Grupos de atividades físicas ( Unidades com Projeto Viver Mais e Melhor);
  • Avaliação Multidimensional da Pessoa Idosa, com o fornecimento da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa.
  • Visitas domiciliares e vacinação à idosos acamados, com agendamento prévio.

A pessoa idosa, ou responsável, deve procurar a Unidade de Saúde de sua referência e realizar seu cadastro, dando encaminhamento às demandas necessárias em saúde.

Em caso de suspeita de violação de direitos, como violência, entre em contato:
Centro de Referência em Direitos Humanos - SMDS
Av. João Pessoa, 1105.
Fone: (51) 3289 - 2076

Disque denúncia: 0800-6420100

A área técnica de saúde da pessoa idosa, dentro da Diretoria de Atenção Primária, é responsável pelo planejamento de estratégias para a prevenção e promoção à saúde, bem como o  monitoramento de situações agravantes no território, como casos de violência e negligência aos idosos.

Saúde Bucal

As ações e serviços em Saúde Bucal oferecidos pela Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre seguem a Política Nacional de Saúde Bucal – Programa Brasil Sorridente. O Brasil Sorridente constitui-se em uma política que visa garantir ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal, fundamental para a saúde geral e qualidade de vida da população.

Seu principal objetivo é a reorganização da prática e a qualificação das ações e serviços oferecidos, reunindo ações em saúde bucal voltada para os cidadãos de todas as idades, com ampliação do acesso aos tratamentos odontológicos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Como funciona o atendimento odontológico?

Para o primeiro atendimento, o usuário é orientado a buscar a Unidade de Saúde de referência de forma presencial ou através do aplicativo 156+POA, que é o sistema eletrônico de agendamento vigente do município. 

A equipe de Saúde Bucal irá realizar o acolhimento, a avaliação e o tratamento clínico que for necessário, conforme carteira de serviços da Atenção Primária à Saúde. Caso seja necessário, a equipe de Saúde Bucal poderá realizar o encaminhamento do usuário para exames complementares e tratamento especializado nos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) ou hospitais de referência, dependendo da complexidade do tratamento.

Quais são as ações realizadas em Saúde Bucal?

As ações em saúde podem ser realizadas por meio de atividades educativas ou clínicas. 

As atividades educativas visam a prevenção dos principais agravos que acometem a saúde bucal da população. Tais atividades são realizadas de forma individual ou em grupo, na própria unidade, em escolas, creches, instituições de longa permanência, ou em outros espaços comunitários, bem como em visitas domiciliares. 

As atividades clínicas incluem procedimentos preventivos, curativos e reabilitadores, como aplicação de flúor, limpeza, restaurações, extrações e pequenas cirurgias que são realizadas nas Unidades de Saúde.

Atenção especializada em Saúde Bucal 

A atenção especializada em Saúde Bucal é representada pelos Centros de Especialidades Odontológicas, que atendem as seguintes especialidades:

  • Endodontia (tratamento de canal);
  • Periodontia (tratamento da gengiva e tecidos de sustenção dos dentes);
  • Cirurgia Buco-Maxilo-Facial (cirurgias e exodontias de dentes mais complexas);
  • Estomatologia (diagnóstico e tratamento de lesões na boca, como o câncer bucal);
  • Pacientes com necessidades especiais;
  • Odontopediatria.

Porto Alegre conta com 6 Centros de Especialidades Odontológicas: Bom Jesus (LENO), Santa Marta (CENTRO) , IAPI (NHNI), Vila dos Comerciários (GCC), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Grupo Hospitalar Conceição (GHC). 

Prótese Dentária

A oferta de próteses removíveis totais e parciais tem como objetivo construir uma política de inclusão social de edêntulos e edentados parciais, minimizando as seqüelas das perdas dentárias.

Para encaminhamento ao serviço, o usuário deve buscar a Unidade de Saúde de referência, onde a equipe de Saúde Bucal irá realizar o acolhimento, a avaliação e o tratamento clínico que for necessário. Antes do encaminhamento, o usuário deverá ter realizado todos os procedimentos clínicos básicos e, após, o cirurgião-dentista realizará o encaminhamento de reabilitação por próteses totais e/ou parciais removíveis superiores, inferiores ou ambas.

Atualmente Porto Alegre oferta 3 serviços de reabilitação de prótese dentária: Grupo Hospitalar Conceição, SESC Alberto Bins e SESC Navegantes.

Atendimento de urgência

Em caso de atendimento de urgência, de segunda à sexta-feira, o usuário pode dirigir-se à Unidade de Saúde de referência ou às Unidades de Saúde com atendimento até às 22h. À noite estes serviços não são referenciados por território, ou seja, qualquer uma destas unidades acolhe o usuário independente do seu local de moradia. Para saber quais unidades têm atendimento noturno, clique aqui.

O usuário também pode procurar atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento. Porto Alegre conta com os seguintes locais de atendimento para urgência odontológica:

  • - Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (atendimento 24h, todos os dias) - localizada na rua Prof. Manoel Lobato, 151 - Santa Tereza, Porto Alegre - RS, 90450-190
  • - Unidade de Pronto Atendimento Moacyr Scliar (atendimento das 7h às 18h de segunda-feira à sábado) - localizada na Rua Jerônymo Zelmanovitz, 01 - São Sebastião, Porto Alegre - RS, 91010-003

Em casos de traumatismo de face o usuário poderá procurar atendimento no Hospital de Pronto Socorro ou na emergência do Hospital Cristo Redentor. 

Serviços de Apoio Diagnóstico

A Saúde Bucal da Secretaria Municipal de Saúde conta com serviços de apoio diagnóstico, que envolve serviços de diagnóstico por imagem e patologia clínica. 

O serviço de radiologia oferece radiografias odontológicas panorâmicas, oclusais, interproximais e periapicais, que auxiliam no diagnóstico e tratamento odontológico. O município oferta exames de radiologia no Centro de Saúde Santa Marta, Faculdade de Odontologia da FRGS, IAPI (região norte), Carreta Odonto SESC (região leste), CF José Mauro Ceratti Lopes (região sul), Hospital Materno Infantil Presidente Vargas (HMIPV) e Clínica Redimagem (região central). Além destes, algumas Unidades de Saúde possuem aparelho de radiografia intraoral no próprio serviço, onde o usuário pode realizar o exame na própria consulta odontológica.

Já o serviço laboratorial fornece exames anátomo-patológicos, muito utilizados no diagnóstico de lesões bucais.

Para acesso a estes serviços, o usuário deve primeiramente consultar na sua Unidade de Saúde de referência, e havendo necessidade, o cirurgião-dentista fará encaminhamento para a realização dos exames.

Amamentação, Alimentação e Nutrição

A Área Técnica da amamentação, alimentação e nutrição atua na orientação, planejamento e execução intra e intersetorial das políticas relacionadas, como segurança alimentar e nutricional, direito humano à alimentação adequada, cuidado das pessoas com má nutrição e em condições específicas dos ciclos de vida.

Mamanalgesia

Existem estratégias baseadas em evidências para diminuir a dor no momento da vacinação de crianças pequenas. O leite humano possui substâncias que geram sensação de prazer, impactando na diminuição da dor durante e após o procedimento. Isso ocorre, também, pelo fato que o próprio ato de amamentar, a sucção e o toque, liberam substâncias analgésicas no bebê, como a endorfina. A amamentação consiste em uma medida eficaz contra a dor, que também pode ser utilizada em outros procedimentos que exigem punção, como o teste do pezinho e a coleta de sangue para exames. A SMS estimula a prática desta técnica em todas as unidades de saúde e outros espaços que realizam procedimentos dolorosos em crianças pequenas

Práticas Integrativas e Complementares em Saúde

As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) são recursos terapêuticos que buscam a prevenção de doenças e a recuperação da saúde, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade. As práticas foram institucionalizadas por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS (PNPIC). Estas importantes práticas são transversais em suas ações no SUS e podem estar presentes em todos os pontos da Rede de Atenção à Saúde, prioritariamente na Atenção Primária com grande potencial de atuação. Uma das abordagens desse campo é a visão ampliada do processo saúde/doença e da promoção global do cuidado humano, especialmente do autocuidado. As indicações são embasadas no indivíduo como um todo, considerando-o em seus vários aspectos: físico, psíquico, emocional e social.

Entre as principais diretrizes da PNPIC está o aumento da resolutividade dos serviços de saúde, que ocorre a partir da integração – ao modelo convencional de cuidado – de racionalidades com olhar e atuação mais ampliados, agindo de forma integrada e/ou complementar no diagnóstico, na avaliação e no cuidado. As PICS são práticas naturais que podem auxiliar na melhora da qualidade de vida, ampliando a resolutividade dos demais acompanhamentos de saúde, sempre aliadas ao atendimento tradicional.

Fluxo de Acesso às PICS: 

Para os usuários terem acesso às PICS na Atenção Primária, devem procurar a sua unidade de saúde de referência, verificar quais PICS disponíveis no local e solicitar atendimento com profissional capacitado, sendo um serviço de demanda espontânea.

No site da SMS na página da Biblioteca Virtual da Atenção Primária em Saúde - BVAPS temos a lista orientativa de US que ofertam algumas PICS, disponível no endereço virtual: https://sites.google.com/view/bvsapspoa/programas-e-pol%C3%ADticas-de-sa%C3%BAde/pics-pr%C3%A1ticas-integrativas-e-complementares-em-sa%C3%BAde

PICS ofertadas no SUS pela Atenção Primária:

Sessão de Meditação, Sessão de Bioenergética, Sessão de Constelação Familiar, Sessão de Acupuntura Aplicação de Ventosas / Moxa, Sessão de Eletroestimulação, Sessão de Auriculoterapia, Sessão de Massoterapia, Tratamento Naturopático, Sessão de Aromaterapia, Sessão de Cromoterapia, Sessão de Geoterapia, Sessão de Terapia de Florais, Tratamento Homeopático, Tratamento Ayurvédico, Tratamento em Medicina Tradicional Chinesa, Antroposofia aplicada à Saúde, Homeopatia e Ayurveda, Acupuntura com inserção de Agulhas, Sessão de Imposição de Mãos e Tratamento Fitoterápico.  

Para os usuários serem atendidos pela Atenção Especializada de ofertas de PICS, os usuários devem pedir encaminhamento para consultas especializadas, que pode ser feito pela equipe médica e/ou consulta com profissional de saúde de curso superior na US referência.
Temos 4 PICS sendo ofertadas no SUS pela Atenção Especializada (reguladas via GERCON) e estes são seus locais de atendimentos:

  • Acupuntura Geral – realizada por equipe médica no Ambulatório PICS Modelo, no Centro de Reabilitação Vila dos Comerciários e Hospital Cristo Redentor. Realizada por equipe de fisioterapia no Centro de Reabilitação IAPI. 
  • Fitoterapia Geral – realizada por equipe médica no Ambulatório PICS Modelo.
  • Homeopatia Geral - realizada por equipe médica no Ambulatório PICS Modelo e no  Hospital Nossa Senhora da Conceição AS.
  • Osteopatia Geral e Osteopatia Pediátrica – realizada por equipe de fisioterapia no Centro de Reabilitação Vila dos Comerciários.

 

Doenças e Agravos Não Transmissíveis

A Área Técnica das Doenças e Agravos Não Transmissíveis (DANTS) trabalha desenvolvendo ações voltadas aos portadores de doenças crônicas como Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), Diabetes Mellitus (DM), Doenças respiratórias crônicas (Asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC) e Câncer.

Realiza desenvolvimento e monitoramento dos indicadores de saúde dessa população, e atua conjuntamente com as Coordenadorias de Saúde do município para implantação das ações de saúde propostas pela AT.

A área técnica das Doenças e Agravos Não Transmissíveis está vinculada ao Núcleo de Promoção de Saúde (NPS) na Coordenação de Promoção de Políticas Públicas em Saúde (CPPS da Diretoria de Atenção Primária em Saúde (DAPS).


Responsáveis pela área técnica das DANTS:
Rosana Meyer Neibert
Fernanda Maria Lima Hartmann
Fone (51) 3289-2774

Projeto Viver Mais e Melhor

O projeto tem como objetivo geral promover o desenvolvimento de ações estratégicas de apoio ao cuidado integral à saúde da população idosa que apresenta maior vulnerabilidade ou limitações funcionais e pessoas com obesidade, Diabetes Mellitus e/ou Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS).
As equipes atuam em ações de prevenção e promoção à saúde nas quatro Coordenadorias de Saúde do município de Porto Alegre desde abril de 2023. A equipe do projeto é composta por 16 profissionais de educação física, 8 enfermeiros, 2 assistentes sociais, 1 sanitarista e 2 motoristas.
As atividades de educação física realizadas nas Unidades de Saúde, tiveram um crescimento de mais de 90% nas USs que já desenvolviam alguma atividade. Alguns serviços estão recebendo pela primeira vez atividades de educação física, e o projeto tem sido pioneiro em relação à presença dos profissionais de educação física na saúde.

Guia de Atividade Física para a População Brasileira

Fibromialgia

A Fibromialgia é uma doença crônica de caráter físico e emocional que desencadeia dor generalizada no corpo. Pode estar acompanhada de fadiga, distúrbio do sono, disfunção cognitiva e episódios depressivos. Atinge principalmente mulheres entre 30 e 50 anos. O diagnóstico é feito por um profissional, procure uma Unidade de Saúde.

O tratamento recomendado para o controle da doença e alívio do desconforto prevê atividade física regular e suporte psicológico em associação com Práticas Integrativas Complementares em Saúde - PICS, como acupuntura, auriculoterapia e osteopatia.

Atinge principalmente mulheres entre 30 e 50 anos. O diagnóstico é feito por um profissional, procure uma Unidade de Saúde.

Pessoas com diagnóstico de fibromialgia têm prioridade no atendimento nos serviços de saúde. Direito assegurado pela Lei Municipal 12.711/2020 e Lei Estadual 15.606/2021.

Fibromiálgicos que residem em Porto Alegre podem solicitar cartão de prioridade para atendimentos em serviços de saúde. A emissão é feita nas Coordenadorias de Saúde, das 8h às 17h, sendo necessário a apresentação de documento com foto, Cartão Nacional de Saúde (CNS), laudo médico e comprovante de residência.

Locais de confecção do cartão de prioridade de fibromiálgicos:
    
Coordenadoria de Saúde Sul: Rua Pitta Pinheiro Filho, 176 - Camaquã.
Telefone: 3289-6568 / 3289-2342 / 3289-5566 / 3289-5567
    
Coordenadoria de Saúde Oeste: Av. Moab Caldas, 400, 3º andar - Santa Tereza.
Telefone: 3289-2971 / 3289-2905

Coordenadoria de Saúde Leste: Av. Bento Gonçalves, 3722 - Partenon.
Telefone: 3289-5529 / 3289-5521 / 3289-2340 / 3289-5619

Coordenadoria de Saúde Norte: Rua Três de Abril, 90 - Passo d’Areia.
Telefone: 3289-3490 / 3289-3496

Prevenção e Tratamento das Infecções Sexualmente Transmissíveis

O que é HIV?

HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mas podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Assim pega:

  • Sexo vaginal sem camisinha;
  • Sexo anal sem camisinha;
  • Sexo oral sem camisinha;
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa;
  • Transfusão de sangue contaminado;
  • Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

 

Assim não pega:

  • Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
  • Masturbação a dois;
  • Beijo no rosto ou na boca;
  • Suor e lágrima;
  • Picada de inseto;
  • Aperto de mão ou abraço;
  • Sabonete/toalha/lençóis;
  • Talheres/copos/chimarrão
  • Assento de ônibus;
  • Piscina;
  • Banheiro;
  • Doação de sangue;
  • Pelo ar.
  • Trabalhar e conviver com portadores do Vírus HIV

Preservativos

Tanto o preservativo masculino quanto o feminino, bem como o gel lubrificante são distribuídos gratuitamente nas Unidades de Saúde (US). Procure a US mais próxima de sua casa para retirá-los.

Onde Posso Fazer o Teste

- Todas as Unidades de Saúde de Porto Alegre disponibilizam testes rápidos para HIV, Sífilis, Hepatites B e C

- Centro de Testagem e Aconselhamento Santa Marta: Rua Capitão Montanha, Nº 27 - 5º andar – Centro, das 08h as 17h

- Centro de Testagem e Aconselhamento Navegantes: Rua Presidente Franklin Roosvelt, Nº 5 – 2º andar, das 08h às 18h

- SAE MURIALDO: AV. Bento Gonçalves 3722 – 2º andar, sala 15, das 8h as 17h

- SAE VILA DOS COMERCIÁRIOS: Rua Moab Caldas Nº 400 - área 11, das 8h às 17h

- SAE IAPI: Rua Três de Abril Nº 90 – Área 12, das 8h às 17h

É possível solicitar o teste rápido de HIV para fazer em casa em qualquer CTA ou SAE da cidade bem como através do Projeto “A Hora é Agora” (FIOCRUZ) onde você escolhe receber em uma unidade de saúde, correios ou armário digital através o site www.AHORAEAGORA.ORG

 

PREVENÇÃO COMBINADA

Conheça as formas de prevenção ao HIV, às IST e às hepatites virais

A Prevenção Combinada associa diferentes métodos (ações) de prevenção ao HIV, mostrando a importância da prevenção das IST e das hepatites virais tanto para a prevenção do HIV, quanto para a saúde integral das pessoas. Essas ações podem estar combinadas de acordo com as características individuais e o momento de vida de cada pessoa.

CAIST-Prevenção-Combinada.jpg

Entre os métodos (ações) que podem ser combinados(as), estão: a testagem regular para o HIV, que pode ser realizada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS); a prevenção da transmissão vertical (quando a gestante é soropositiva e pode haver a transmissão do vírus para o bebê); o tratamento das infecções sexualmente transmissíveis e das hepatites virais; a imunização para as hepatites A e B; a redução de danos para usuários de álcool e outras drogas; a profilaxia pré-exposição (PrEP); a profilaxia pós-exposição (PEP); e o tratamento para todas as pessoas que já vivem com HIV.

Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)

A PrEP é o uso de medicamentos - Um comprimido ao dia - para que, caso a pessoa venha a ter uma exposição com risco de contaminação pelo HIV ela já esteja protegida. Qualquer pessoa com peso maior que 35 Kg e 15 anos ou mais e que seja sexualmente ativo tem acesso a essa medicação na rede pública de saúde de modo gratuito. Não há necessidade de levar acompanhante para realização da consulta e início do medicamento. Na consulta inicial são realizados testes rápidos para HIV e demais Infecções sexualmente transmissíveis (Hepatite B, Hepatite C e Sífilis) e depois uma vez a cada 3 meses.

 

PEP (Profilaxia Pós-Exposição ao HIV)

A PEP é também o uso de medicamentos que evitam uma infecção pelo HIV, porém é usado esse medicamento por 28 dias após a exposição. Para ter acesso a PEP, a relação sexual tem que ter ocorrido em no MÁXIMO 72 horas (3 dias) para que possamos iniciar a prevenção de forma adequada. Após esse período de 72 horas não é mais possível usar essa modalidade de prevenção. Para saber os locais em que podem ser retiradas a PEP em Porto Alegre ligue para o 156. Vale lembrar que exposição sexual desprotegida é uma Urgência Médica e a pessoa deve buscar a prevenção pós exposição (PEP) o mais rápido possível. Nos locais de atendimento não tem importância a situação que levou a se expor ao HIV e não há julgamentos quanto a isso. Todos estão ali para ajudar a se prevenir do vírus do HIV da forma mais segura e eficaz.

Ambos os métodos de prevenção consistem em tomar medicamentos que tem o poder de evitar uma nova infecção ao HIV quando usados corretamente. Mas, é importante ressaltar! Essa proteção é somente para o HIV. Ainda está recomendado o uso de gel lubrificante + Preservativo para a prevenção das demais infecções sexualmente transmissíveis. E não se esqueça, essas formas de prevenção estão disponíveis no SUS.


Endereços dos Serviços de Atendimento Especializado - Durante a Semana em Horário Comercial (PEP e PREP)

SAE Centro - Santa Marta

Rua Capitão Montanha, 27 - 5º Andar
Fone: 3289.2926 e 3289.2925
Horário: 8h às 17h

SAE Centro de Saúde Vila dos Comerciários - Área 11

Rua Moab Caldas, 400
Fone: 3289.4082, 3289.4051 e 3289.4050
Horário: 8h às 17h

SAE Centro de Saúde IAPI - Área 12

Rua Três de Abril, 90
Fone: 3289.3435 e 3289.3414
Horário: 8h às 17h

SAE MURIALDO

AV. Bento Gonçalves 3722 – 2º andar, sala 15,
Fone: 3289.5740 e 3289.5502
Horário: 8h às 17h

Locais e Endereços para Atendimento de PEP Fora do Horário Comercial e em Finais de Semana

Pronto Atendimento Lomba do Pinheiro

Estrada João de Oliveira Remião, 5110 - Parada 12
Fone: 3289.8245 e 3289.8243

Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul
Rua Professor Manoel Lobato, 151
Fone: 3289.4016

Pronto Atendimento Bom Jesus
Rua Bom Jesus, 410
Fone: 3289.5438 e 3289.5404

UPA - Unidade de Pronto Atendimento Moacyr Scliar
Rua Jeronimo Velmonovitz, esquina com Av. Assis Brasil
Fone: 3368.1619

Hospital da Restinga
Estrada João de Oliveira Remião, 3700
Fone: 3394.4700

 

Locais e Endereços para Atendimento de PEP até as 22h de Segunda-feira à Sexta-feira

Unidade de Saúde

Endereço

Telefone

Horário de Atendimento

CF Álvaro Difini

Rua Alvaro Difini, 520 - Bairro Restinga

(51) 4076-5011 (WhatsApp) / 4076-5012 / 4076-5015 / 4076-5010 / 4076-5013

De segunda a sexta das 7h às 22h.

CF Belém Novo

Rua Florêncio Farias,195 – Bairro Belém Novo

(51) 3289-5723 (WhatsApp) / 3289-6560 / 3289-5723 / 3289-6563 / 3289-6562

De segunda a sexta: das 7h às 22h.

CF Campo da Tuca

R. Cel. José Rodrigues Sobral, 958 – Vila São João – Bairro Partenon.

(51) 3289-5660 (WhatsApp) / 3289-5606 / 3289-5607

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Diretor Pestana

Rua Dona Teodora, 1016 - Bairro FARRAPOS

(51) 3289-5665 (WhatsApp) / 3289-5664

De segunda a sexta das 7h às 22h.

CF IAPI

Rua Três de Abril, 90 - Bairro Passo da Areia - Porto Alegre RS (Área 8, 9, 10, 11, 16)

(51) 3289-3446 (WhatsApp) / 3289-3411 / 3289-3414 / 3289-3469

De segunda a sexta das 7h às 22h.

CF José Mauro Ceratti Lopes

Estrada João Antonio da Silveira, 3330 – Bairro Restinga

(51) 3289-5203 (WhatsApp) / 3289- 5201 / 3289-5202/32895205

De segunda a sexta: das 7h às 22h.

CF Moab Caldas

Av. Moab Caldas, 400 - Bairro Santa Tereza

(51) 3289-4070 (WhatsApp)

De segunda a sexta das 7h às 22h.

CF Modelo

Av. Jerônimo de Ornelas, 55 - Bairro Santana

(51) 3289-2555 (WhatsApp) / 3289-2557

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Morro Santana

Rua Marieta Menna Barreto, 210 - Bairro PROTASIO ALVES

(51) 3289-5493 (WhatsApp) / 3289-5696 / 3289-8249

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Navegantes

Av. Presidente Franklin Roosevelt, 5 - Bairro São Geraldo

(51) 3289-8214 (WhatsApp) / 3289 8235 / 3289-5511

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Primeiro de Maio

Av. Professor Oscar Pereira, 6199 - Bairro Cascata

(51) 3289-5676 (WhatsApp) / 3289-5674

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Santa Marta

Rua Capitão Montanha, 27 - Bairro Centro Histórico

(51) 3289-2935 (WhatsApp)

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Tristeza

Av. Wenceslau Escobar, 2442 - Bairro Tristeza

(51) 3289-5764 (WhatsApp) / 3289-5677 / 3289-5763

De segunda a sexta das 07h às 22h.

US Chácara da Fumaça

Av - Estr. Martim Félix Berta, 2432 - Mário Quintana, Porto Alegre

(51) 3289-6577 (WhatsApp) / 3386-1166 / 3289-5691 / 3289- 5692

De Segunda a sexta das 07h às 22h.

US Ramos

Rua K esquina Rua R C, S/N - Vila Nova Santa Rosa, Bairro Rubem Berta

(51) 3289-8255 (WhatsApp) / 3289-5602 / 3289-8255

De segunda a sexta das 07h às 22h.

US São Carlos

Av. Bento Gonçalves, 6670 - Bairro Partenon

(51) 3289-5526 (WhatsApp) / 3289-5525

De segunda a sexta das 07h às 22h.

CF Belém Novo

Rua Florêncio Farias,195 – Bairro Belém Novo

(51) 3289-5723 (WhatsApp) / 3289-6560 / 3289-5723 / 3289-6563 / 3289-6562

De segunda a sexta: das 7h às 22h. Fechada para reunião para reunião mensal 4ª quinta-feira das 13h às 15h.

CF IAPI

Rua Três de Abril, 90 - Bairro Passo da Areia - Porto Alegre RS (Área 8, 9, 10, 11, 16)

(51) 3289-5723 (WhatsApp) / 3289-6560 / 3289-5723 / 3289-6563 / 3289-6562

De segunda a sexta das 7h às 22h.

CF Modelo

Av. Jerônimo de Ornelas, 55 - Bairro Santana

(51) 3289-2555 (WhatsApp) / 3289-2557

De segunda a sexta das 07h às 22h.

 

HEPATITES VIRAIS

O que é hepatite?

Hepatite é uma inflamação no fígado que pode ser causada por diversos agentes.

Podemos ter hepatite causada pelo álcool ,medicamentos, plantas e chás medicinais, excesso de gordura no fígado , causa genéticas e também por alguns tipos de vírus.

As hepatites virais são as causadas pelos vírus A, B, C , D e E.

No nosso meio, as Hepatites A,B e C são as mais comuns.

 

Hepatite A

A Hepatite A é causa por um vírus que pode ser transmitido por água e alimentos contaminados por fezes. Esta transmissão pode ser dar, tanto por águas contaminadas por esgotos não tratados como em riachos, rios e praias. Alimentos crus como peixes, mariscos e também frutas, verduras mal lavadas que tenham sido preparadas por pessoas que não tenham higienizado bem as mãos.

Pessoas que praticam sexo oral-anal, popularmente conhecido com “beijo-grego” também podem se contaminar caso o parceiro ou a parceira estejam com a doença.

Qualquer hepatite pode se apresentar com sintomas ou não.

Quando a pessoa tem sintomas, na fase aguda da doença , os mais comuns são náuseas (enjôos), dor abdominal (dor na barriga, principalmente no lado direito, abaixo das costelas). Não há medicação nem dieta específica para hepatite aguda do tipo A , entretanto recomenda-se não usar álcool e informar o seu médico sobre o uso de qualquer medicação, pois algumas podem ser tóxicas para o fígado. O mesmo vale para plantas , chás e remédio “caseiros”, pois alguns também podem ser prejudiciais.

 

Hepatite B

A hepatite B é uma doença prevenível por vacina. Isto é o mais importante a ser lembrado. É gratuita pelo SUS para pessoas de qualquer idade e devem ser feitas 3 doses.

A transmissão deste vírus se dá por sangue e relação sexual desprotegida. A transmissão por sangue pode ocorrer por agulhas e seringas reutilizadas, acidentes biológicos, tesouras, alicates de unhas e lâminas de barbear compartilhadas.

Pode ser transmitida também na hora do nascimento da mãe para o bebê.

Esta hepatite pode ficar crônica quando o organismo não consegue eliminar o vírus, e as pessoas com hepatite B crônica podem desenvolver cirrose e câncer de fígado. Para diminuir a chances de progressão para formas mais graves existem medicamentos distribuídos pelo SUS, ,estes medicamentos normalmente são receitados por especialista em doenças do fígado ou em doenças infecciosas.

 

Hepatite C

A hepatite C é causada também por um vírus cuja principal forma de transmissão é a sanguínea, com objetos que contenham sangue ou secreções . A transmissão sexual também pode acontecer quando houver relação desprotegida. Ela também pode ficar crônica e causar cirrose, câncer de fígado, diabetes e aumentar a chance de infarto do coração e “derrame” cerebral, o AVC.

Pessoas com mais de 40 anos de idade tem mais chances de portarem este vírus. A maioria das pessoas que tem hepatite C não sabem do diagnóstico, de forma que o teste rápido disponível nas unidades de saúde, são a forma mair eficaz de saber da infecção e de buscar o tratamento o mais rápido possível. A Hepatite C tem cura em quase 100 % dos casos, com tratamento simples que duram aproximadamente 3 meses sem efeitos colaterais.

O tratamento é gratuito pelo SUS. Ainda não existe vacina contra o vírus C.

 

 

Tuberculose

O que é a tuberculose?

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e/ou sistemas. A doença é causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch.

Quais os sintomas?

Os sinais e sintomas mais freqüentemente descritos são:

· Tosse;

· Cansaço excessivo;

· Febre;

· Suor noturno;

· Emagrecimento;

· Falta de ar;

Como se transmite?

A transmissão é direta, de pessoa a pessoa, portanto, a aglomeração de pessoas é o principal fator de transmissão. O doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo contaminando-o. Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo, uso de drogas ilíticas ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da doença.

Como tratar?

O tratamento é à base de antibióticos e tem duração de no mínimo seis meses, podendo se estender de acordo com cada caso. É 100% eficaz, mas não pode haver abandono nem irregularidade. Muitas vezes o paciente não recebe o devido esclarecimento e acaba desistindo antes do tempo, por sentir melhora acentuada já nas primeiras semanas de terapia, mas o tratamento deve ser seguido até o fim mesmo com melhora dos sintomas.

É possível realizar o Tratamento Diretamente Observado (TDO), em que o profissional de saúde acompanha e observa a correta ingestão dos medicamentos. O tratamento irregular pode complicar a doença e resultar no desenvolvimento de tuberculose resistente às drogas utilizadas e, portanto, mais difícil de ser tratada.

Prevenção

A principal maneira de prevenir a tuberculose é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), disponível gratuitamente no SUS. Essa vacina deve ser dada às crianças ao nascer, ou, no máximo, até 04 anos, 11 meses e 29 dias de idade e protege contra as formas mais graves da doença, como a tuberculose miliar e a meníngea.

Ainda como medida preventiva, é necessário avaliar familiares e outros contatos do paciente para que não desenvolvam a forma ativa da tuberculose.

Alem da gestão das políticas publicas referentes as ISTs, Hepatites e Tuberculose no âmbito municipal de Porto Alegre a CAIST atua na formação de profissionais da atenção básica e privada na distribuição de insumos (preservativos , gel lubrificante, formulas lácteas) as unidades de saúde e aos pontos de sociabilização da cidade através do e-mail hivtb@portoalegre.rs.gob.br