Informações Esgoto Pluvial

180124_EB_0900_GCS-38-4.jpg

Porto Alegre é composta por 27 arroios, e cerca de 35% da área urbanizada está até três metros acima do nível do mar, ou seja, praticamente no mesmo nível médio das águas dos rios, havendo boa parte destas áreas na Zona Norte da cidade, mas também no Extremo Sul. Esta condição favorece inundações e alagamentos. A cidade é também cercada pelo Rio Gravataí, pelo Lago Guaíba e a Lagoa dos Patos.

Para minimizar os impactos das condições geográficas, o sistema de drenagem é composto por aproximadamente 2,5 mil quilômetros de redes pluviais, mais de 120 mil pontos de captação (bocas de lobo, poços de visita) e cerca de 65 quilômetros de diques de proteção. Além de 23 Estações de Bombeamento de Águas Pluviais (as casas de bombas), possui 2.698 metros de muro de concreto armado entre as avenidas Mauá e Castelo Branco – o Muro da Mauá – com 14 comportas de proteção contra inundações.

 

Desde maio de 2019, o Dmae é responsável pela manutenção do sistema pluvial (PLE 017/18) e, a partir de 2021, também incorporou os projetos e obras de drenagem da Capital (altera o caput dos Art. 34 e 39, ambos da Lei Complementar nº 170, de 31 de dezembro de 1987; inclui o Art. 2º-a e revoga o Art. 2º da Lei Complementar nº 206, de 28 de dezembro de 1989). Leia aqui. Até 2017, serviços e obras de drenagem eram realizados pelo Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), extinto neste ano (PLCE 005/17 e LEI COMPLEMENTAR Nº 817, DE 30 DE AGOSTO DE 2017).


DRENAGEM EM NÚMEROS

27 bacias hidrográficas 
304 km de arroios, córregos e valas
35% da área urbanizada até 3 metros acima do nível do mar
2,7 mil km de redes pluviais
81 km de galerias, canais e condutos forçados
+ de 120 mil pontos de captação (bocas de lobo, poços de visita, grelhas, alas, etc)
65 km de diques de proteção
23 Estações de Bombeamento de Águas Pluviais (casas de bombas de drenagem) 
2,6 m de muro com 14 comportas de proteção (Muro da Mauá)
28 bacias de amortecimento públicas implantadas 

300420_DVG_DMAE--3-8.jpg